terça-feira, 31 de janeiro de 2012

O Sumiço

E no Sábado Hl resolveu pregar um grande susto, desceu para levar o Zé para fazer xixi com o Pai, atividade que ele adora, além da tradicional voltinha na quadra que o livra por algum tempo do apertamento, ainda se sente GRANDE por acompanhar o pai. Ainda era cedo e eu fiquei de preguiça assistindo desenho com a Nine e a Zebra  e de repente a campainha toca e vejo meu moleque entrar tremendo dentro de casa...
Segundos de pânico, o que houve? Não consigo escutar a explicação do porteiro que conta para a Lêle e para a Zebra que o moleque estava sozinho e assustado em frente a portaria e que ele o pegou e o levou para casa. Só consigo abraçar forte meu menino e dizer que já passou que ele está com a mamãe... Quando enfim ele para de tremer consegue contar sua aventura, enquanto Zé fazia Xixi resolveu sair correndo na frente e se esconder do pai, só não esperava que ao voltar um pouquinho e olhar para trás, não visse mais o pai, pensou um pouco e entre ir pelo outro lado e tentar encontrar o pai, e ir para a porta de casa, escolheu o segundo, sabia que ali estaria seguro, afinal todos no região o conhecem.
Antes que eu consiga respirar e pensar em avisar o pai ,toca o telefone e do outro lado existe um Hugo apavorado, chorando relata que perdeu o filho, não ouve que eu digo que HL já está em casa seguro, seu desespero é real e tenho que gritar que o menino já está em casa!
 O reencontro dos dois foi emocionante, apesar de saber que o filho merecia um belo pito pela fuga o pai só conseguia agradecer por encontrar seu moleque à salvo.
E quando tudo passou e eu comecei a me perguntar se havia feito o correto em transmitir as crianças desde muito pequenas o conceito de liberdade com responsabilidade, em não podar meus pequenos acreditando que tem que estar 24 horas por dia ao meu lado... me convenci que sim, estava certa ao ensinar o HL a se virar, o caminho de casa, o endereço completo desde que ele tinha 2 anos... Quando se viu numa situação de perigo, não teve duvidas, correu para a portaria sem falar com nenhum estranho, sabia que ALI ele encontraria proteção e abrigo. E Vcs? O que fazem? Ensinam seus filhos o caminho de casa a partir de pontos de maior frequência?


segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Ser Gentil vale a Pena BC

Hoje além de ser dia da blogagem coletiva sobre gentileza, também é dia da saudade, e lendo o lindo post que a Jay,  fez sobre a saudade me coloquei a pensar no meu avô...
Apesar de ter partido quando eu tinha apenas 7 anos, sempre foi e ainda é uma das pessoas mais presentes e mais ativas em minha vida, e talvez o seja porque apesar do pouco tempo que fez parte da minha vida foi uma das pessoas mais gentis que conheci na vida. Sabe estas pessoas que não precisam se esforçar para serem gentis? Que o são mesmo sem perceber?
Segurar a porta do elevador, ceder seu lugar na fila do mercado quando estávamos com dois carrinhos lotados de compras e a pessoa atrás de nós estava com uma cestinha com poucos volumes, fazer a faxina na casa, pois minha avó tinha problemas na coluna e mamãe trabalhava o dia inteiro, passar horas brincando com os meus colegas de sala na primeira semana de aula, pois muitas mães trabalhavam e não podiam ficar no período de adaptação dos filhos... Eram atitudes cotidianas na vida dele, e nunca precisou falar para o filho ou para os netos que era aquilo que ele esperava de nós... Seu exemplo nos bastava.
 Ser gentil não dá trabalho, não dói, não custa caro, e de quebra recebemos o maior de todos os pagamentos: O sorriso das pessoas... E hoje cheia de saudade daquele homem lindo, que não via perda de tempo em ajudar o outro, resolvo que tentarei ser um tantinho menos estressada e um tantinho mais gentil



E se você quer um pouquinho mais de gentileza, vai no blog da Ro, linda amiga que propos a blogagem coletiva na intenção de fazer um mundo um pouquinho mais gentil

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Tragédia no Rio

E na noite de quarta-feira três prédios desabam no coração do centro do Rio de Janeiro, a musiquinha do Plantão do Jornal Nacional alerta que algo aconteceu no país, acompanho perplexa a notícia, os prédios se localizam na rua paralela a do meu trabalho, corro para a internet, quero notícias dos conhecidos e amigos que podiam estar passando na região, tento localizar quais foram os prédios, a empresa em que trabalho possuí uma Fabrica de Software na rua do desabamento... Um amigo querido passou pelo local 15 minutos antes, graças a Deus todos os conhecidos estão bem... Mas a indignação não para... Só cresce!
 Manhã de Quinta dia 26 de Janeiro, chego para trabalhar e ao sair do metro da Cinelândia, ao longe já avisto um verdadeiro cenário de guerra, a fumaça e a poeira tomam conta de toda a região, a defesa civil, bombeiros, guarda Municipal, ambulâncias, jornalistas tomam a região... É triste ver,  não é mais uma notícia no jornal, é a minha realidade, está ali, palpável, sinto o cheiro da tragédia...No meio da manhã já encontraram 5 corpos e um prédio da rua onde trabalho é interditado pela defesa civil. Trabalhamos tensos, com medo, dentro do prédio é possível sentir o cheiro da fumaça e a poeira que insiste em entrar pelo ar condicionado e nos impede de esquecer que a metros de nós o caos está instalado.
E a revolta começa a tomar vulto, este não foi apenas um acidente, foi mais uma consequência do descaso com a vida humana, mais uma consequência de viver no país do ‘jeitinho’ onde alvarás são concedidos em troca de 30 moedas, mais uma tragédia anunciada como a do restaurante que explodiu também no coração do centro do rio de Janeiro em 13/10/2011 . Graças a Deus  ambos os casos aconteceram em horário de pouco movimento, um antes das 8 da manhã e outro por volta das 20:30, mas o que iremos esperar para cobrar seriedade neste país, que outra tragédia como estas ocorro às 16h? Com o centro fervilhando de gente e os prédios cheios de trabalhadores? O que mais é preciso para quem enfim o Brasileiro acorde e perceba que NÃO DÁ MAIS para viver no país do jeitinho e da propina? E isto meu caro amigo só depende de nós, de mim e de você, também somos nós quem alimentamos esta industria de tragédias anunciadas, por ação ou na maioria das vezes por OMISSÃO, mas somos SIM tão responsáveis quando o dono do restaurante que deu 30 moedas para o fiscal da prefeitura, quanto o fiscal da prefeitura que recebeu 30 moedas, quanto o engenheiro que recebeu 30 moedas para assinar uma reforma que não viu nem a cara, ou o dono do prédio que pagou 30 moedas ao engenheiro...  Sim, as nossas mãos também estão sujas com o sangue destas vitimas. Chega! Passou da hora de exigirmos um país sério e uma cidade SEGURA!



fotos tiradas dia 26?01 pela manhã por colegas de trabalho

PS : Fica a nota do meu apreço pelo prefeito Eduardo Paes, que como em todas as outras tragédias que afetaram nossa cidade esteve presente, chamou para si a responsabilidade e colocou sua cara a tapa acompanhando na linha de frente todo o desenrolar das tragédias cariocas.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Minha ultima bebê

Filha hoje você faz 4 anos e definitivamente deixa de ser um bebê, passa oficialmente a ser uma criança, mas você nunca será apenas uma criança, ou uma criança qualquer, você será sempre a minha ultima bebê...  Sabe filha, saber que você viria a ser parte da nossa família foi um susto imenso, nós até pensávamos em ter nossa menininha, mas tínhamos acabado de chegar ao Rio, teu irmão ainda era um bebezico e a mamãe ficou apavorada, achava que não ia dar conta e chorou igual uma boba de medo, pânico, sei lá, estas besteiras da mãe que você tá cansada de saber...
Quando faziam apenas 12 semanas que você estava na barriga da mãe, em um exame de rotina, o único que a mãe foi sozinha, pois o papai estava ocupado resolvendo coisas da casa de Araruama com o maninho, veio a pior notícia, dada por uma médica completamente despreparada: Ela disse que você teria Sindrome de Down, e que o melhor a fazer era interromper a gestação... Mamãe saiu em prantos da Clinica, não conseguia lembrar nem o telefone do papai, e louca desvairada como sempre foi,andava pela estrada chorando, sem lembrar que a casa ficava a quilômetros de distancia e que ela mal andava 1000 metros sem colocar os bofes para fora... Mas Deus sempre cuidou de nós e o papai tinha resolvido ir ao centro e passava por ali na hora, choramos juntos filha, mas a única certeza que tínhamos era que interromper a gestação não era uma opção válida. Não tinha medo da deficiência em si, afinal o Tio Carlinhos é nosso grande exemplo de vida, mas tinha medo de ver vc sofrer, de  você sofrer preconceitos...  Naquela noite fomos à igreja, e juro que não me lembro de nada daquele culto, apenas de passar o tempo inteiro chorando e clamando que Deus te protegesse!
No dia seguinte mais calma, liguei para a Tia Bruna, médica e amiga da mamãe de Brasília, ela me acalmou, me orientou, pediu mais um monte de exames e cada vez que um exame vinha com a confirmação da Síndrome, era ela quem me tranquilizava e me dava colo, daí vc ganhou seu segundo nome, em homenagem a esta grande e linda mulher. A gestação foi passando e infelizmente filha, NADA foi tranquilo, no sétimos mês a mamãe teve a primeira crise de paralisia e fomos parar no hospital em Brasília, Os dois últimos meses foram difíceis, seu irmão queria atenção, a pressão da mamãe estava louca, o potássio baixíssimo, a mamãe chegava a inchar 30 kg em um só dia e a médica que acompanhava a mamãe aqui no Rio era uma louca furiosa. Infelizmente a mamãe não conseguiu curtir a tua gestação como queria e você merecia...
Três dias antes de você nascer, teu pai já estava alucinado e resolveu levar a mamãe para uma consulta de emergência em um hospital pouco conhecido, e como Papai do Céu, nunca nos abandou colocou nosso anjo em nosso caminho, o Dr. José Luiz. Na hora ele diagnosticou a pré-eclampsia, mas como existia a ‘quase certeza’ de que você teria síndrome de down, ele quis te proteger também, e pediu exames mais complexos para ver como você estava... E no dia 26 de Janeiro de 2008, às 7 horas da manhã, chegávamos na maternidade para enfim te conhecer... a ansiedade na sala de parto era grande, além da pressão maluca da mamãe que chegava à 26, a pediatra estava tensa com a sua saúde, seu pai segurava a minha mão e eu só pensava em ouvir teu choro...
E você chegou, chorando forte, teu pai correu para te ver, e quando enfim te colocaram perto de mim, nada mais importava... Só queria sentir teu cheiro, contar teu dedinhos, estas coisas que mães malucas fazem... Mas logo te levaram. Você precisava ser minuciosamente examinada, e a enfermeira teve a certeza que a mamãe era doida de pedra na hora que seu pai avisou que não mandaria roupas para o berçário, que eu não deixaria ninguém te vestir, esta era uma tarefa da qual eu não abria mão! E àquela hora e meia em que você ficou no berçário foi terrível  filha! Queríamos você conosco, do jeitinho que você fosse... Até que entra no quarto o São Zé Luiz com um lindo sorriso tranquilizador no rosto, seguido da pediatra e de você.  E na hora que ele afirmou que os exames estavam errados e você era perfeita, senti o coração explodir, e sem me importar que as pernas ainda estivessem dormentes, que a cirurgia começava a incomodar e que os dois médicos ali presentes me chamassem de maluca, te peguei no colo e ali éramos só nos duas. Não mais ligadas pelo cordão umbilical, mas ligadas e unidas pelo amor cúmplice e profundo que nada será capaz de abalar.
E Hoje Filha, 4 anos depois desta linda história, só tenho a agradecer a você por fazer parte da minha vida, por ser esta garotinha que PSIÇA desesperadamente das coisas, que pergunta ‘intendeu’ 7 .200 vezes na tentativa de nos convencer com tuas argumentações sempre muito fundamentadas, a encher nossa casa com uma peruíse que só você mesma para conseguir ter, e a cada dia encher ainda mais a vida de todos nós de alegria!
 Que Deus continue te abençoando e te protegendo SEMPRE! Te Amamos demais!


quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Preconceito, a burrice que fere a alma

Pensei muito antes de escrever este post, cheguei a escrever e em seguida descartar, começar e abandonar, pensava que era só porque escrever sobre o preconceito me machuca profundamente e hoje vejo que não, que muitas vezes fiquei com medo de escrever e de servir como ‘desestimulo’ à pessoas queridas, mas acho que chega uma hora que não dá para fugir... E só espero que com o tempo cada vez menos pessoas venham a sofrer com o maldito preconceito...
 Descobrir que o Carlinhos era uma criança deficiente me abalou profundamente e na época da descoberta acreditei que nada podia ser pior do que de uma hora para outra ter que aprender a lidar com todo um mundo novo, ir contra o que médicos e terapeutas com complexo de deus afirmavam e encontrar uma forma de dar o melhor aquele menino tão carinhoso e sorridente. Me enganei...
 Quando ele era pequeno, apesar de todas as dificuldades que encontrávamos, e de toda a luta da minha mãe para que ele tivesse acesso ao que havia de melhor, de toda a batalha para ajuda-lo a superar os seus limites e ir além, convivíamos muito pouco com o preconceito. Lógico que uma ou outra vez ele se mostrava presente, mas na infância do Carlinhos acho que posso contar nos dedos as vezes que fomos vitimas reais de preconceito.
 Afinal ele era uma CRIANÇA linda, amorosa, sorridente, que falava com todo mundo, cumprimentava até o vira latas da esquina e certamente no nosso dia a dia era mais conhecido do que qualquer outro membro da família, éramos sempre o.... do Carlinhos... E eu com meu complexo de Polyana, quis acreditar que a vida toda seria assim... Só me esqueci  que a sociedade de forma geral está programada para achar BBS e crianças ‘bonitinhos’, se são alegres então... Encantam e colocam um sorriso bobo no rosto de qualquer um.
 Mas graças a Deus e ao empenho das famílias, as criancinhas deficientes também crescem e uma hora não são mais criancinhas ou bebezinhos bonitinhos, são adolescentes e adultos, e aí é que o bicho pega, já não há mais graça ou encanto, já não existe mais a ternura intuitiva pelos pequenos, passa a existir apenas um deficiente, alguém que não corresponde as expectativas da sociedade, e automaticamente os olhares mudam... Já não existe mais carinho, existe medo, nojo...
Aí sim vem o pior de encarar, a maldade humana, o preconceito cego e burro, mesmo que as vezes venha disfarçado num meio sorriso, numa gracinha.... Ele está lá, é real!  E isto sim foi, é, e continuará sendo o mais dolorido! Sei que teorias pipocaram de todos os lados, blablablas de que não deviamos ligar, mas não dá o preconceito rasga a alma, dilacera...
Foi duro aprender a conviver com isto, foi difícil ver aquele menino lindo, carinhoso, voluntarioso e cheio de coragem, com muito mais determinação do que qualquer um daqueles que o julgava se sentir excluído, e se retrair... Cada um de nós reagiu de uma maneira, alguns negando, outros tentando compreender, outros brigando contra o mundo... Foi difícil fazer aquele menino lindo entender que não havia NADA de errado com ele, que havia sim MUITO de errado em quem o olhava daquela maneira...
E mais Uma vez a força e determinação do grande moleque safado venceu, e com seu sorriso, sua safadeza, seu bom humor e suas traquinagens conseguiu provar para muitos daqueles que o olhavam como um ET, que ele era apenas diferente, e se fez querido por alguns deste... Os outros? Juro que tento não pensar, ou não ligar, ou me fazer de burra ...  É até bom que tenham medo de serem vistos ao lado do Linhos, eles podem o contaminar com sua sujeira. Quem perde definitivamente não  é o Carlinhos... Ele como sempre vence e acalenta, aquece e acalma nossos corações.
O sorriso que vence o mundo!

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Batatas malucas

E daí que este final de semana foi de romance, reconciliação, curtição e festa, Começamos na sexta, feriado no Rio de Janeiro,  São Pedro deixou sua rabugice de lado e enfim  nos presenteou com um belo feriado de sol  e calor, Hugo voltou para casa e fomos comemorar o dia na praia, e claaaaaaaaaro que ao chegar em casa ninguém tava com animo para ir para cozinha preparar nada, mas dia na praia além de cansaço traz fome e as crias precisavam comer algo relativamente saudável...  E na discussão entre pizza e lasanha congelada resolvo dar uma checada na geladeira ver o que tínhamos...
Tinha um resto de molho de tomate com calabresa  e pedacinhos de  lombo de porco que havia sobrado do macarrão de quinta,  pensei em apelar para o macarrão niqui as crias gritam que não vão comer macarrão de novo... Marido recém-empossado no antigo cargo e querendo agradar se propõe a sair para comprar algo, mas a ideia também não agrada a um monte de mininu morto de fome (Nine e zebra, que HL quer que o mundo acabe em suco para não ser obrigado a mastigar), volto para a geladeira e fuçando mais um pouco encontro um monte de batatas, lembro-me das ”batatas malucas”, que minha quase filha fazia para eu comer nas madrugadas e arrisco... Quem sabe não agrada?
 Pego uma e meia batata por pessoa (contando que HL vai comer ¼ e que a Nine e o Hugo vão se encarregar de dar fim no resto da parte dele), descasco, corto ao meio verticalmente e coloco para cozinhar apenas com água e tempero completo, deixo por alguns minutos até que estejam ao dente (cozidas, mas oferecendo certa resistência ao garfo), ajeito cuidadosamente em uma travessa e peço socorro ao Hugo para cavar um buraco em cada uma, minhas duas mãos são esquerdas e tortas e absolutamente sem coordenação motora, formando um ‘barquinho’ de batata, preencho este barquinho com o molho que estava na geladeira, polvilho queijo ralado e levo por uns 10 minutos no forno quente.
Mesa posta e mãe tremendo de ter que ir novamente para cozinha para agradar filho chato que não come nada  e BINGO! Todos amaram as batatas malucas e até HL comeu deixando apenas ½ batata para a draguinha Nine...  Tá com preguiça de ir pra cozinha? Tem resto de molho na tua geladeira? Aproveita, faz as batatas malucas e aproveita o resto do tempo para curtir o que realmente importa!



segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

E o amor venceu!


Como coloquei no post de 18/01, estava cheia de duvidas a respeito da minha separação, como comecei o post falando da regressão do HL, algumas pessoas acreditaram que o  fato principal que estava me levando a repensar a decisão eram as crias, Talvez eu tenha me expressado mal, apesar das crias serem prioridade absoluta na minha vida, e de sim elas terem um peso imenso em todas as decisões que tomo, desde a escolha da marca da margarina até o bairro onde irei morar, apenas este fator não me levaria a repensar as minhas decisões.
Depois que publiquei a respeito da separação, acho que o fato de tornar a coisa publica, ganhou uma dimensão imensa para nós dois, acho que pela primeira vez nos tocamos que ou tomávamos conta ou realmente nos perderíamos de forma definitiva e isto serviu como um chocoalhão na gente. E as mudanças começaram a aparecer antes mesmo de qualquer conversa. Não posso negar que em um primeiro momento as ignorei e fiz questão de não ver, estava magoada, chateada, ferida... Mas elas estavam ali e não dá para ignorar a realidade por muito tempo. Resolvi parar de ouvir à ‘modernidade’ e de seguir contra a corrente, não dá para depois de burra velha começar a ser incoerente comigo mesma.  E a conversa saiu, sem cobranças, sem acusações, mas deixando claro o que precisávamos em uma relação, e cheguei à conclusão que o que levou a toda a turbulência dos dois últimos meses antes da separação foram o acumulo de pequenas coisas, sujeirinhas que preferíamos jogar para baixo do tapete a conversar e resolver na hora. Elas se transformaram em um monstro e quando explodiu causou toda a turbulência de dezembro...
Percebi que o principal de uma relação ainda existe AMOR e RESPEITO, e que não dá para julgar uma pessoa por uma atitude isolada, claro que não estou aqui falando que meu marido é perfeito, não é, como ele mesmo admitiu nos comentários do post da separação, ele errou e muito, mas eu também errei, só que se ele cometeu erros, ele também cometeu inúmeros acertos, e principalmente por isto resolvemos acreditar no Amor, na verdade e na união como forma de superar os problemas. Sei que as pessoas que realmente GOSTAM de mim estão ao meu lado, me conhecem o suficiente para saber que tenho discernimento suficiente para saber o que é melhor para minha vida, e sei que estão torcendo para que este retorno seja ainda mais prazeroso e abençoado do que os sete anos que tivemos antes desta grande crise as outras? Sinceramente não me importam, respeito à opinião, mas muito mais do que acreditar em teorias, acredito em vivencia!
E este fim de semana foi assim, em clima de retorno, em clima de romance, onde estamos redescobrindo muitas qualidades do outro que ficaram encobertas pela rotina do dia a dia, pelos problemas cotidianos, e Trabalhando para superar as falhas que são possíveis e a aceitar o que é essência e desta forma imutável. Fomos à praia, cozinhamos juntos, tivemos refeições em família e voltamos a rir juntos.  Enfim, o orgulho cedeu e novamente o Amor Venceu!

domingo, 22 de janeiro de 2012

Minha Zebra 17 anos

Filha amada, hoje você faz 17 anos e toda a sua vida passa diante dos meus olhos...
Antes mesmo de fazer o exame já sabia que você estava ali, e que seria para sempre minha eterna companheira. Fiz o exame lá no conjunto , demoraria 3 horas para sair o resultado e eu histérica não consegui ir para casa e esperar como qualquer criatura normal teria feito... resolvi ir ao cinema, estava passando um desenho, um ratinho que ia morar nos EUA , Fivel um sonho americano, e assim que saí do cinema tive a certeza, o meu sonho era realidade, você já estava ali comigo.
Sua gestação não foi fácil, logo no inicio soubemos do Câncer da sua bisavó, minha vó Batatinha... Não tinha o que ser feito por ela, e praticamente nos mudamos para o hospital... e filha tenha a certeza que já naquela época era a sua presença crescendo dentro de mim que me mantinha em pé, logo em seguida da morte da vovó veio a separação do seu pai,mas eu tinha você,e a alegria de te ter era maior que qualquer tristeza ou dor...
Mas você era apresada e não quis esperar muito para conhecer este mundão louco, e com 7 meses de gestação você nasceu, os dias em que você ficou na UTI foram os piores da vida da mamãe, acredite filha, nenhuma dor que sua mãe possa ter passado na vida foi tão intensa quanto o medo de te perder, mas apesar de pequenininha vc era forte e em poucos dias fomos para casa... na primeira noite não consegui dormir, passei ela inteira te namorando, sentindo teu cheiro, e depois do primeiro Banho que te dei estava tão nervosa, que logo depois de te vestir tive que te entregar para a tia W. para não te derrubar de tanto que eu tremia.
Você foi crescendo e sempre foi uma criança meiga e carinhosa, todos que te conheciam se encantavam com você, e não posso negar que você era o xodó de todos nós!
 Você cresceu e se tornou uma linda moça,e aí filha as coisas complicaram, te ver chorar ou sofrer sempre foi a coisa mais dolorosa para a mãe, e reconheço que muitas vezes errei na mão, peguei pesado, fui dura, errei muito, mas filha tenha a certeza que nunca foi intencional, nunca quis te magoar, e nas vezes que errei foi pensando em estar fazendo o melhor para você! Me perdoa Filha, mas infelizmente não existe curso para mãe, a gente tem que aprender na porrada, e muitas vezes acaba errando mesmo.
E hoje você é esta mulher linda, meiga, decidida, inteligente, tímida que doí, caseira ao extremo, mas principalmente determinada, e eu quero muito que você saiba que EU MORRO DE ORGULHO DE VOCÊ!!!! Este ano vai ser chato, é o ano que você estará se dedicando totalmente ao seu vestibular para medicina, muito estudo, pouco tempo, muito medo, pouca diversão, mas tenho certeza que no final você sairá vitoriosa, como em tudo que realmente se dedica, e tenha a certeza que pode contar com nosso apoio incondicional, para TUDO, o seu sonho não é só seu, é NOSSO, é meu, dos seus irmãos, do seu padrasto e faremos TUDO para que ele se realize!
Agora é hora de comemorar e aproveitar os últimos dias de férias, vamos, rir, comer costelinhas com nhoque, se abraçar e  festejar a presença de alguem tão linda nas nossas vidas!
Comemore ser você, comemore ter ideais, Comemore ser determinada, comemore ser uma filha maravilhosa, uma neta fantástica e uma irmã amorosa, comemore ser tímida, comemore gostar de musica, comemore, pois poucas pessoas são tão lindas e fortes quanto você!!!
Feliz Aniversário Filha!!!
TE AMO do tamanho da terra, do tamanho do céu, PARA SEMPRE

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Minorias? Tô fora! Quero é IGUALDADE

Se você é branco e não tem caráter, você é mau caráter e ponto. Se for negro e alguém falar o mesmo, o mundo caí e em segundos o mundo irá gritar que é racismo;
Se você for branco e não passar no vestibular, você simplesmente não estava preparado e ponto. Se for negro é porque não teve oportunidades e seu tatataravô foi escravo e você é um injustiçado pelo sistema.
 Se você chamar meu filho de branquelo é brincadeira, se eu chamar o teu de negão é preconceito e serei processada por racismo.
Se você é homem  e bebe até cair e faz M, você é um irresponsável, se for mulher é uma coitadinha...
Se você é homem fica bêbado e fica com uma mulher que passou a noite inteira se oferecendo você é um aproveitador mau caráter, se você é mulher, é uma pobre infeliz que sofreu abuso sexual.
Se você é homem e numa balada pega todas as mulheres que pode, você é um galinha aproveitador, se você é mulher está apenas exercendo sua liberdade sexual.
 Se você é homem é numa discussão perde a cabeça e empurra sua mulher, você é um agressor. Se você é mulher, você foi provocada.
 Se você é classe media e faz questão que seu filho estude na melhor escola da região, você esbanja dinheiro e não ensina ao seu filho o real valor das coisas. Se você é pobre você é um grande pai que se sacrifica para dar o melhor ao filho...
Se você é hetero e se comporta de maneira inadequada sexualmente você é promiscuo, se você é gay está exercendo sua afetividade.
Quer saber, cansei das minorias, cansei dos politicamente corretos, cansei de gente chata e falsa que tem preguiça de viver de verdade e se apega a pseudo causas para dar sentindo a sua vida vazia e sem graça. Só volto a olhar com seriedade estas tais minorias, quanto pararem de mimimi e passarem a querer IGUALDADE e não PRIVILEGIOS por serem ‘minoria’!
Pronto faley!

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

E Agora? será que ainda é tempo de amar?

Hoje acordei pensando em escrever sobre a regressão que HL anda apresentando, praticamente não come mais e voltou a usar chupetas para tudo, chegando ao ponto de quase ter que sair depois das 22:00h para ir a farmácia pois ele não encontrava a bendita e não conseguia dormir mas logo cedo, recebi um email lindo da Eliana Furlan e em seguida caí em prantos com a linda carta escrita pela minha irmã do coração Mari Hart pensei em toda a leviandade que as relações estão tendo e que me incomoda muito e isto me fez pensar e repensar e pensar novamente em todo o turbilhão de coisas e sentimentos que tenho vivido desde Dezembro quando me separei.
Sempre fui uma criatura contraditória, extremamente liberal para algumas coisas, extremamente conservadora para outras, mas que no fundo sempre acreditou e pregou que as pessoas tem apenas a obrigação de serem felizes, independente de certos ou errados, o que por sinal acho absolutamente subjetivo. Mas uma coisa que sempre ME incomodou foi à superficialidade das relações modernas, tudo é muito descartável, muito provisório e as pessoas se cansam com uma facilidade fora do comum umas das outras... Ao primeiro sinal de crise a palavra separação aparece como ÚNICA alternativa, e vem todo um blablabla pronto que realmente me deixa sonolenta: “ VC deve Pensar em VC”; “As crianças estarão bem se VC estiver bem”; “Parte para outra”... Agora pera lá meu povo, onde foi parar duas palavrinhas simples como: TOLERANCIA e RESPONSABILIDADE? Quando nos casamos com alguém não somos mais apenas EU, passamos a ser NÓS, e temos sim responsabilidade com esta outra pessoa; Os filhos  são uma responsabilidade do casal, e a felicidade deles pode até depender da felicidade de ambos os pais, mas e a segurança emocional? Quando decidimos ter filhos realmente continuamos com o direito de pensar primeiro em nós?  Será que não nos tornamos muito pouco tolerante com os defeitos de quem amamos?Juro que não sei...
Claro que antes de decidir me separar pensei demais, relutei muito, pesei tudo, mas hoje sinceramente começo a me perguntar se realmente este é o melhor caminho... Claro que meu ex teve falhas serias e graves, claro que dei inúmeras chances para ele mudar determinados comportamentos e em boa parte das vezes ele as desperdiçou, mas, tudo na vida sempre tem um mas... Não posso negar que sou carne de pescoço, teimosa, geniosa e mandona... Como também não posso negar que nossa relação teve muito mais momentos bons do que ruins.
Ficamos juntos durante mais de 7 anos, neste período mudamos de cidade 4 vezes, enfrentamos doenças graves na família de ambos, falta de grana, ele se afastou completamente da irmã que insistia em não me respeitar, 2 filhos, minha doença, problemas com a zebra e sempre acima de qualquer coisa : Fomos Companheiros! Mesmo quando o mundo parecia ruir e tudo parecia estar contra, um era o muro de arrimo do outro.  E tenho plena consciência que só superamos tudo que passamos, que só saímos inteiros e fortalecidos de todas as batalhas dos últimos 7 anos, por sempre ter contado com o apoio incondicional do outro. E SIM, isto pesa demais... Talvez esta seja à base de um relacionamento verdadeiro, companheirismo e confiança...
 Não sei, a magoa pela ultima briga ainda é grande, a raiva por o ver repetir comportamentos que racionalmente ele SABE que são errados, mas que estão profundamente arraigados em sua personalidade por conta do tipo de educação repressora que teve, também me incomoda muito... Mas consigo começar a ver o problema de forma menos passional, e principalmente menos sexista... Ainda não sei se vale a pena tentar novamente, tenho apenas a certeza que não vale tentar nas mesmas bases, concessões obrigatoriamente teriam que ser feitas de ambos os lados, mas não com a visão de quem pode mais... Quem dobrou quem... Concessões que teriam que ser feitas em nome do amor, do companheirismo e da família que criamos juntos, não dá para voltar a estaca zero, ou ao ponto onde paramos, se esta for a opção terá que ser em outras bases sobre o mesmo alicerce...O Tempo dirá!

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Estupro no BBB? hãnhãn zzzzzzzzzzzzzzz

Nas ultimas horas só ouço falar do BB, e aí houve estupro? Não houve? E as feministas gritam de um lado, os negros berrarem de outro e aí como fica? Nestas horas quem irá socorrer o mais novo ‘pobre excluído’ das minorias? Devemos Chamar o Chapolin Colorado? Sei que os politicamente corretos estão se engalfinhando e torrando a paciência.
 Não assisti ao BBB no domingo, estava conversando com o pai das crias sobre a regressão que o HL tem mostrado (mas isto é assunto para outro Post), e me surpreendi na manhã de segunda quando vi o vulto que a coisa estava começando a tomar: Como assim barraco em programa popular e justo EU não estou sabendo??? Vi alguns vídeos na Internet, li o que a mãe de uma falou, o que a mãe do outro falou, a explicação ridícula que o diretor do programa deu (racismo), mas sinceramente não consegui ver NADA DE MAIS!!! Claro tirando o fato da vulgaridade e da leviandade das relações atuais, mas até aí morreu Noca, ninguém tem nada a ver com o fato de dois adultos, supostamente responsáveis não saberem ou não desejarem se valorizar...
No Início da noite estava eu assistindo TV Fama, sim eu só vejo programa de TV BREGA, na hora que eu quiser cultura eu pego um livro, alugo um filme ou vou ao teatro, niki sou surpreendida com a notícia que a policia cívil entrou no caso, e que o pobre negro discriminado foi expulso do programa por que estuprou a pobre mocinha ingênua... Juro que tive que parar para concatenar as ideias?  Jura mesmo que o MEU dinheiro está sendo gasto numa investigação ridícula destas?  Jura mesmo que em uma cidade onde a segurança publica é CAOTICA e que em algumas delegacias o escrivão decide se vai ou não fazer o registro de sua ocorrência, como quando tentaram me aplicar o golpe do falso sequestro, inclusive descrevendo as roupas que minha Zebra vestia, e o senhor escrivão da 27ª DP do RJ simplesmente se negou a fazer o registro sem maiores explicações, a polícia cível vai PERDER TEMPO investigando um suposto estupro de uma Maria chuteiras assumida, cometido diante de dezenas de pessoas que simplesmente não interviram por não ver nada de anormal na cena? Ah Não! Me poupa que eu tô cara!
Resolvi assistir a cena toda em diversos sites, afinal até as Marias chuteiras tem o sagrado direito ao Não, e neste caso realmente seria inadmissível a atitude do pobre negro discriminado! Mas o que vi em NADA me pareceu sequer abuso, vi uma mulher seduzindo um homem desconhecido durante horas em uma festa regada a muita bebida, depois vi um casal de desconhecidos que resolve dar um amasso em um quarto da casa sem qualquer pessoa por perto, com a pobre donzela sem short. Vi uma mulher de olhos abertos, gemendo, mexendo os braços e que segundo o relato da própria ficou algum tempo brincando de mão naquilo, aquilo na mão... Em momento NENHUM ela pediu ajuda, ou sequer falou NÃO, no primeiro momento que a produção perguntou, negou tudo e defendeu que NÃO HOUVE SEXO, quando percebeu que estava ganhando audiência, soltou: “Ah, só se eu estava dormindo e aí ele é um canalha.”
Enquanto isto os Chapolins Colorados berram e se estapeiam de lado a lado... Uns defendem a donzela adormecida outros o pobre negro vitimizado... Agora o que NINGUEM questiona é a RESPONSABILIDADE INDIVIDUAL! Numa boa, é obvio que uma mulher não pode ser culpada se for estuprada por que estava com a roupa A, B ou Nua, o direito ao NÃO é SAGRADO! Mas numa boa, o que espera uma mulher que se embebeda com estranhos, vai para a cama com um estranho, troca carícias intimas com um estranho e em momento nenhum diz não? Além disto, qual mulher é estuprada ou mesmo abusada sexualmente e no dia seguinte não tem sequer um minuto de ressaca moral? Eu Já tive UM porre homérico com direito a amnésia na vida, mas estava em casa acompanhada do meu 1º marido, meu irmão e minha ex-cunhada. Até hoje tenho alguns flashes nítidos daquela noite, e já tem mais de 15 anos, além disto, lembro até hoje a resaca moral dos dias seguintes. Foi tamanha que passei os dois anos seguintes sem tomar nem champanhe no réveillon. Agora a donzela indefesa, não sente NADA? Mesmo sabendo que pode ter sido sexualmente abusada? Estranho.... Muito estranho!
 Além disto, por traz dos espelhos se espalham dezenas de profissionais da produção 24h por dia, será realmente que um ser humano que provavelmente tem esposa e filhas em casa e com certeza tem mãe assistiria uma cena de estupro diante de seus olhos de forma impassível? Sem nem ao menos tentar ajudar? Não creio!
Por outro lado, como o próprio afrodescendente discriminado disse no primeiro dia de programa: é idiotice se pensar em cotas, somos TODOS iguais, o sangue é o mesmo! OK, ganhou minha simpatia naquele dia, era um negro que sabia o seu valor, se posicionava socialmente e simplesmente não aceitava ser tratado como diferente, sem mimimis ou falsas ideologias pseudo igualitárias. Se ele tivesse abusado da moça, teria sim que ser exemplarmente punido, mas que agora seja coerente e não venha de mimimi racista, pois como ele mesmo declarou: o sangue é o mesmo! Somos todos iguais!
 Deste episódio para mim sobra apenas a lamentável constatação que apesar de todas as conquistas  que as mulheres obtiveram e de todas as lutas que enfrentam  para se fazerem respeitar, o que mais vemos e mais ganha destaque são as ‘atrizes e modelos’ que estão apenas em busca de sucesso fácil rápido, que de preferência venha através de gordas contas bancarias de homens tolos e ricos e o mais triste ainda é ver as feministas usarem uma mulher deste nível como exemplo de luta...


UPDATE: Senhor comentárista anônimo, quer dizer anonima que este tipo de comentário só 'feminista' mal amada faz, quero esclarecer apenas que minhas filhas, bem como meu filhO são criados com padrões elevados de moral, ética e respeito ao proximo. Logo não preciso me preocupar nenhum deles nunca irão se expor desta forma absurda por um motivo simples: sabem que todas as suas atitudes trazem consequencias e que atitudes idiotas e insanas SEMPRE trazem consequencias ruins...
 E SIM CASO qualquer uma delas seja estuprada, ou mesmo uma amiga, ou filha de uma amiga ou quem sabe mera colega de trabalho tenham a infeliz experiência de sofrerem qualquer violência REAL, serei a primeira a gritar e a lutar por justiça.
Agora faz um favorzinho e vai procurar alguem que te ame!

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Maçã com Ketchup?

Desde que o McDonalds encasquetou de colocar MEIA maçã e diminuir em quase 50% a batata frita do Mc Lanche feliz que as crianças desiludiram e nunca mais haviam pedido para ir na lanchonete do palhaço, e quando saíamos para shoppings ou afins o vicio da vez passou a ser o Batata Inglesa com suas adoráveis batatas rostie. Mas eis que a Zebra veio passar as férias de verão em casa ( três vivas para a minha Zebra DJÁ!) e já no dia que chegou fez o pedido: Mãe quero ir lanchar no MCDonalds. OK. Pedido de filho que mora longe não é pedido, é ordem!
 Então, aproveitando que no sábado estava morta de gripe e com uma preguiça felomenal de ir para a cozinha, na hora da janta resolvi atender ao pedido da Zebra e seguimos os 4 para a lanchonete do palhaço mais próxima de casa.Os pedido de sempre: 2 Chedder com nuggets no lugar das batatas e Coca cola, e dois MC Lanches com bata e Nuggets e Claro Coca Cola que filho de viciado não pode negar as origens...
HL como tem feito ultimamente em todas as refeições, comeu meio Nuggets, 3 ou 4 batatas fritas, dois goles de refrigerante e empurrou a bandeja, se entretendo logo com o brinquedinho do lanche. Eu e zebras entretidas e olhando admiradas para a Nine que diante de qualquer comida não se faz de rogada e come feliz e contente, Eis que a moleca come todo seu lanche e começa a olhar para as 4 mini fatias de maçã que eles juram ser MEIA MAÇÃ...
 Já estava preparada para o reclamar costumeiro e para intervir pedindo que peloamordedeus HL desse o lanche que não queria mais para a irmã, que nada, ela prontamente abriu o potinho com as maçãs, tascou no ketchup e seguiu se deliciando como se fosse a iguaria mais fina do mundo.... Depois quando falo que é mais barato manter leão a filet mignon do que a Nine à carne de pescoço!!!

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

As Crias na separação

Por mais que eu tente e me esforce para fazer com que as crias encarem a separação como algo natural, que infelizmente muitas vezes acontece e que eles não são responsáveis por absolutamente NADA, não tem sido fácil para eles encararem as coisas com naturalidade e tranquilidade...E talvez isto seja uma das coisas que mais me doem...
A zebra também foi criada sem a presença diária do pai, mas a situação era absolutamente diferente, naquela época, terminamos eu estava grávida e minha zebra quadriculada nunca conviveu no dia a dia com o pai, o que tornava para ela a situação normal. Ela simplesmente não sentia falta de algo que não conhecia...
 Com as crias tem sido diferente, durante algum tempo, nos dias seguintes à separação, tentei manter uma relação equilibrada e adulta com o pai deles, queria que o impacto sob suas vidinhas fosse mínimo, apesar do show de horrores e barbaridades que presenciaram na discussão que levou ao rompimento... Mas Infelizmente, mais uma vez o ego de menino mimado falou mais alto, a incrível capacidade que meu ex tem em acreditar que TODOS são responsáveis por ele, superou qualquer possibilidade de uma relação adulta e amigável... Como coloquei no Post anterior, amei muito sim, mas infelizmente minha capacidade de perdão falou mais alto... E ainda que eu tivesse algum resquício desta capacidade, o instinto de preservação minha e das crias não pode deixar Ed prevalecer... Até porque muitas vezes a palavra e a atitude ferem e marcam muito mais profundamente do que qualquer pancada.
 Com isto a relação passou a ser inexistente, e por mais que eu jamais fale mal do pai na frente das crias, elas não são imbecis... Sentem e sabem o que está acontecendo... A Nine mantém sua postura reservada, como em tudo na vidinha dela, e talvez por isto me preocupe mais, o fato de não demonstrar sentimentos, não significa que eles não existam. Na maior parte das vezes significa que por não saber como lidar, guardam a dor e os medos para si, o que convenhamos não é legal para ninguém, muito menos para uma menininha de quase 4 anos.
HL tem alternado momento de extrema responsabilidade com extrema irritação e agressividade... Oras se comporta como se fosse ‘o homem da casa’, quer cuidar de mim, da irmã, da babá, do cachorro... Chama para si todas as responsabilidades e se preocupa com coisas que realmente não deveria estar nem passando pela cabecinha dele, outras faz malcriação do nada, se estressa a toa, briga comigo, com as irmãs e com a babá, fica de mal do mundo e da sociedade... E apesar de que, é apenas a forma que ele encontra para extravazar todo o turbilhão de emoções e mudanças que atingiu a vidinha dele, não serei hipócrita em dizer que muitas vezes não é fácil para EU manter a paciência no meio da minha dor e decepção e não estourar também com o moleque. Juro que tenho conseguido... A duras penas, mas que é difícil pakacete é!
Tenho tentado ficar ainda mais próxima, não sei se estou certa ou não mas mesmo me recusando terminantemente a falar um  A que não seja positivo a respeito do pai deles, também não os tenho enganado ou alimentado uma esperança que depois dos últimos acontecimentos é simplesmente inviável...Deixo claro que ele sempre será o pai, deixo claro que pai também erra e não significa falta de carinho, mas que não existe mais a possibilidade de voltarmos a ser casados... Que a mamãe ficou muito triste com tudo o que o papai faz e que ela tem o direito de ser feliz...
E só espero que o tempo ajude a cicatrizar a ferida dos meus pequenos, que a imaturidade do pai não os fira ainda mais, que um dia eles sintam que são prioridade para DUAS pessoas e não só para a mamãe e que as marcas não sejam muito fortes, nem muito doloridas...
 Será que este realmente é o caminho?


quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Separação ou Superação.... O Post que nunca quis escrever

Sim Tá doendo, sei que não deveria, sei que deveria estar aliviada, mas é mentira, não estou... sei que me livrei de um peso, mas inacreditável mente o peso que sinto parece que aumentou...
Sei que esperam que eu me recomponha e faça de conta que tudo é igual como antes, que não há amor, que não há carinho, que não há medo... Sei que esperam isto porque me amam ou no mínimo gostam de mim pakacecte, mas na boa, não tenho disposição para fingir uma falsa tranquilidade...
 O Coração está borbulhando e é quase impossível conter as lagrimas quando toda a magoa aflora no peito e a capacidade de perdão já foi esgotada...
Eu realmente amei demais, amei de verdade, profunda e intensamente, amei tanto que mesmo quando era nítido me recusei a ver os defeitos, procurei arranjar desculpas, e perdoei quando ninguém mais perdoou... Quis acreditar que era fruto de uma mãe possessiva, manipuladora e controladora, e sei que é... Que muito é responsabilidade de uma mulher que pensou mais nos seus medos do que em proporcionar aos filhos uma vida plena, mas não é justificativa para um ADULTO permanecer nos  mesmos erros,  e mesmo após anos de terapia continuar se comportando como  o menino mimado, para quem  tudo era facilitado e de quem nada era cobrado... Só me esqueci que infelizmente o caráter de uma pessoa não é apenas herança genética, alias, quase nada do caráter é... Caráter é a soma de tudo que nos foi ensinado seja por palavras, ações e principalmente omissões. E infelizmente descobri que amei profundamente um homem desprovido de caráter... Onde só seus desejos contam, onde só sua vontade conta, onde todas as suas necessidades são primordiais e prioritárias, que objetos são mais importantes do que pessoas, para quem todo ato é objeto de barganha...
Sei que não deveria, mas dói... Dói enterrar um sonho, um plano de vida, dói perceber que fui uma idiota perfeita ao acreditar que podia mudar, podia crescer , amadurecer, perder o ranço de menininho da mamãe... Não dá, além da péssima educação que recebeu, alem de todos os vícios que te foram ensinados, não é apenas uma questão de enraizamento de comportamentos negativos... É opção de vida... Sempre foi fácil ser o coitadinho, o que precisa de cuidados, o dependente.... Mudar para que? Se além de tudo este estilo de vida trouxe a sensação de rei do mundo?
 Mas apesar da dor, sigo lutando para conseguir enterrar tudo que um dia acreditei que seria capaz de se tornar realidade... Não penso em retomar ou mesmo em perdoar... Não sou Jesus cristo. Minha capacidade de perdão como a de qualquer ser Humano é limitada! Sei que fiz a minha parte, tentei mais do que qualquer um teria tentado, acreditei mais do que qualquer um teria acreditado, perdoei mais do que qualquer um teria perdoado...
Sigo enlutada sim, para minha decepção e a da maior parte das pessoas que gostam de mim, sei que esperavam de mim uma atitude mais radical e imediata, mas sigo em frente pronta para vivenciar meu luto e ressurgir das cinzas com a certeza que nunca mais conseguirei amar de forma tão inocente e pura mas que a capacidade de amar continua aqui....

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Comer, comer....

Ontem estava conversando com a Zebra sobre a paranoia que a alimentação está virando hoje dia, e vejo que é mais uma área onde a patrulha do TEM QUE atua fortemente, e numa boa, temo um futuro de traumatizados alimentares...
Explico, há mais de 30 anos não como feijão, na verdade apenas o cheiro do feijão cozinhando me faz sentir ânsia... E Juro que apesar de Grazadeus não lembrar do gosto, tenho nítidas lembranças de que muito pequena pedia para ir a casa da tia de minha mãe apensa para comer a deliciosa sopa de feijão com macarrão que ela fazia, mas muito mais nítida do que estas lembranças é a das brigas diárias e chororó intenso onde meu pai me obrigava a comer o tal do feijão por acreditar firmemente que sem ele eu seria mais desnutrida do que qualquer criança da Etiópia. Quando pude ter alguma escolha nunca mais coloquei o tal alimento no meu prato, e sou coerente, não como NADA que leve o tal, nem mesmo acarajé!
 Jurei a mim mesma que não faria isto com meus filhos, posso e cometo inúmeros erros com eles, mas este me recuso terminantemente a cometer. Claro que quando a Zebra nasceu por inúmeras vezes me vi insegura, e algumas vezes cheguei a pensar em cair na tentação da patrulha do TEM QUE, mas me policiei, lembrei do meu terror e preservei a minha primeira BB disto. Lógico que me preocupava em que ela tivesse uma alimentação saudável, que experimentasse os mais diversos alimentos, mas ao mesmo tempo não vi problema que comesse doces, ou mesmo que tomasse refrigerantes depois de 1 ano de idade... Também ouve a fase das tentativas de chantagens barata em se recusar a comer, percebia que deixava a avó e a bisa desesperadas com isto e tentava usar  a mesma chantagem comigo... Se deu mal... Eu simplesmente ignorava e a fome nunca resistiu a mais de três refeições. Hoje é uma saudável mulher de 17 anos, que come besteira e tem uma alimentação saudável, de forma equilibrada, sem grandes neuras nem problemas de peso (a não ser quando abusa do açaí).
Quando HL chegou, apesar de ser o segundo e eu já ter a certeza que criança não é feita de cristal, nem quebra à toa, foi um pouco mais complicado. Hugo vem de uma família onde ainda existe o conceito absurdo de que criança saudável é criança Goooooooooooordaaaaaaaaaaa! Tratar de fazê-lo entender que obesidade infantil é doença e que criança gorda é adulto infeliz que vai viver atrás de dietas miraculosas, foi super complicado, e na verdade ainda é, mas consegui... Infelizmente meu leite secou quando HL tinha 2 semanas,  As formulas foram uma eterna dor de cabeça, e com menos de 3 meses ele só tomava leite batido com morango que logo em seguida foi substituído por iogurte de morango e com 5 m ele já comia frutas e papinhas. Com 1 ano também ganhou a liberação para comer besteiras e beber refri, mas mesmo assim até hoje prefere um bom suco de abacaxi, de preferência com muito gelo! Ele é o que dá mais trabalho, também não suporta feijão e as vezes ainda rola uma chantagem básica para comer, mas quando lembra que eu não mexo um músculo de preocupação, rapidinho vai para mesa. E tem uma boa vontade para experimentar coisas novas que particularmente invejo. Por sua constituição física é magrelo, e isto as vezes ainda me causa problemas com o pai, a quem tenho que lembrar constantemente que apesar de magro o guri é saudável o que nunca ocorreu com seus exemplos balofos.
 Nine é um caso a parte, já chegou mostrando ao que veio, mamava igual a um bezerro e apesar de passar horas no peito tive que apelar para o complemento, e ainda assim a moleca mamava o triplo do complemento que a medica tinha passado e ainda queria cada vez mais...  Dava gosto ver a bichinha mamando, logo se apaixonou pelas frutas e sem largar o peito caiu dentro do mundo mágico das maçãs, bananas e laranjas lima. O problema foi quando chegou a hora do alimento salgado, simplesmente se recusava a comer papinha ou qualquer outro alimento de BB,  Até que eu já no terceiro filho e com a certeza que crianças são feitas de FERRO, um belo domingo dei um pedaço de lasanha... Os olhinhos da pequena brilharam, comeu com gosto e a partir daquele dia traçava toda e qualquer comida que fosse preparada para a casa. Foi a única que furou a regra do refri depois de 1 ano, aos 10 meses roubou uma mamadeira do HL com Coca cola e antes que o irmão pudesse reagir se deliciou com o delicioso líquido sagrado.  E até hoje é minha draguinha, mais fácil manter leão a file mingon do que a Nine a base de banana afff.. . Come de tudo, não é muito chegada a doces em geral e os olhos brilham ao dar de cara com uma bela travessa de lasanha, até hj sua comida predileta.
Besteira lá em casa realmente é liberado, não tenho regras do tipo, bala, chocolate e salgadinho só no final de semana, eles tem acesso a isto o dia que quiserem.  o que não significa que comam todos os dias. Muitas vezes nem dão bola, até por saberem que sempre tem a disposição não se preocupam em comer... Não me preocupo, se uma bela terça ou quinta pedem para almoçar Nuggets com Miojo, até porque este não é o padrão alimentar deles.  Como também não me preocupo com a Coca Cola que lá em casa é sim diária, porque eles comem frutas, carnes, sucos, legumes, cereais (e batata frita, biscoito, chocolate...).
E Vc? È mais rígida? Tem dia certo para besteiras? Legal, respeito a tua posição e juro que nunca irei oferecer um chocolate ao teu filho sem te perguntar antes e longe dele se pode, como também irei respeitar a tua decisão e servirei suco, água, e opções saudáveis em todas as festas dos meus pequenos. Mas por favor, dá para respeitar a minha posição também?


sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Para frente e avante

Só porque hoje é a primeira sexta feira do ano, porque possuo um emprego legal e amo o que faço, porque tenho amigos fieis e verdadeiros, porque amo e sou amada em todos os sentidos. Só Porque tenho saúde, fé e esperança. Só Porque tenho força e garra para lutar e recomeçar quantas vezes a vida me exigir. Só Porque tenho os filhos mais carinhosos, doces e levados que podia imaginar. Só porque eu decidi SER FELIZ...
 Deixo de presente os meus agradecimentos aos primeiros dias de 2012, Que suas provações continuem me dando força para brigar e seguir em frente. Meu Agradecimento aos meus inimigos, que sua revolta seja combustível para a minha apaixonante busca pelo sucesso. Meus agradecimentos aos meus amigos verdadeiros, alicerces inigualáveis no caminho da felicidade. E Principalmente deixo minha vida aos meus filhos, sem eles certamente nada eu teria e nada eu seria... Tudo por eles, para ele e com eles!!!
 E por tudo isto eu tenho certeza, TODOS os meus objetivos serão em breve alcançados!


Amor maior não há: HL, Eu, Zebra e Nine

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Zé: Um Novo Amor

Não adianta, nada na minha vida é definitivo, alias como costumo dizer, a única coisa que quero que permaneça para sempre na minha vida é a capacidade de mudança! E eu que a menos de 72 horas atrás gritava, chorava e esperneava jurando que nunca mais teria outro cão na minha vida, blablabla, blablabla, blablabla, novamente estou enamorada... explico
Ontem ao chegar ao trabalho, uma querida linda que trabalha comigo, veio logo me contar sob um cão, velho e cego que havia sido abandonado pelos donos, na hora não quis nem ouvir e parti para minha sala, logo em seguida ela me manda pelo FB as fotos do cão, com a descrição do que tinha acontecido e que ele só tinha mais 24 horas para ficar no abrigo onde estava... Não conseguia me concentrar no trabalho e a imagem do cão não saiu da mente... Comecei a conversar com esta querida pelo FB e ela colocando lenha... Que podia pegar como lar temporário, que iria fazer bem a mim e as crias... Mas este era o meu grande medo... As crias... Ainda estão chocadas com a perda do nosso querido Bi, como reagiriam? Consultei o pai das crias que colocou mais lenha, acreditava que as crianças ficariam felizes... E num impulso me vi telefonando para a protetora de animais que abrigava o cão velho, em poucos minutos de conversa resolvi, não podia deixar aquele cão desamparado... Da mesma forma que precisamos curar nossas feridas com a falta do Bi, ele também precisa curar as feridas do abandono e combinei com a protetora de levar o cão na minha casa no fim do dia...
E quando vi aquele trocinho branco, velho, cego, maltratado, perdi toda a minha capacidade de escolha, ele acabará de ganhar uma família e um nome: ZÉ, e nós acabávamos de ganhar um novo grande amigo. Dali segui direto para o veterinário, o cão tem estimados 12 anos, já perdeu a metade dos seus dentes, é cego dos dois olhos, tem sopro no coração, um problema na próstata e estava infestado de pulgas e carrapatos, o que causou uma infecção na pele. Já foi medicado e hoje pela manhã está passando por mais uma série de exames... Afinal, velho é velho...
Quando cheguei em casa, foi uma surpresa para as crias, e foi delicioso ver os olhinhos deles brilharem, e após 15 minutos de reconhecimento mutuo e do local, já estavam os três deitados no chão lado a lado assistindo TV... Descobrimos um cão calmo, mas que late forte quando quer pedir comida, carinhoso com as crianças e que em 5 minutos já se prestava ao papel ridículo de servir de cavalo para as filhas da Nine ( Bi, nunca deixou, tinha sua moral canina), educado e nem tentou ainda subir nos moveis e dormiu tranquilo aos pés da minha cama.
 E o Zé que chegou para ficar num lar temporário acabou ganhando uma família, estamos em fase de namoro, nos conhecendo, nos admirando, mas com a certeza que em breve seremos parte do mesmo bando.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Aos meus filhos

Hoje logo cedo, li uma reportagem de um Pai que deixa 28 lições de vida aos filhos antes de morrer, é sobre um rapaz que ao descobrir que tem poucos meses de vida , resolveu que aproveitaria o pouco tempo para ser um bom pai aos seus dois filhos pequenos, mesmo quando tivesse ausente. Gravou DVDs, deixou bilhetes em livros que gostaria que os filhos lessem, comprou presentes para aniversários futuros. E deixou um documento no computador intitulado:  “ Sobre Encontrar a Realização” e neste deixa 28 conselhos que acredita serem fundamentais para que seus filhos se tornem pessoas do bem, e felizes.
Isto me fez refletir sobre a brevidade e incerteza de nossa vida, o tanto de coisa que deixamos para amanhã, a mania de achar que depois sempre teremos tempo de sobra ou conseguiremos realizar tal e tais coisas... E principalmente no que eu realmente iria querer deixar como fruto para os meus filhos... Resolvi então fazer uma lista das coisas que gostaria de meus filhos, foram 16 itens, mas sem os quais acredito que jamais conseguiram ser adultos plenos e saudáveis.
·        Que sejam acima de tudo Leais, com seus irmão, com seus amigos, com sua família, seus trabalhos... A lealdade talvez seja a virtude que mais demonstra o caráter de um ser humano.
·        Que Nunca percam a capacidade de acreditar no ser humano. É claro que irão cruzar com muito feladaputa pelo caminho, mas estes sempre passarão, as máscaras nunca duram muito e de coração aberto terão oportunidade de conhecer e partilhar de pessoas belíssimas.
·        Que sejam corajosos, que não temam o novo, e que esta coragem traga a audácia consciente, pois só através da audácia somos capazes de alçar grandes voos... Tombos irão vir, mas se mantiverem o item acima sempre haverá alguém disposto a esticar a mão e ajudar a ressurgir.
·         Que sejam honestos com o próximo, mas principalmente que sejam honestos consigo mesmos, viver um personagem é sempre frustrante e vazio.
·        Sejam educados e delicados, o mundo sempre irá te julgar e te devolver te acordo com o que vc entregar...
·        Aprenda com seus erros, graças a Deus vocês irão errar muito, mas é apenas através dos nossos erros que conseguimos evoluir e realmente aprender, e uma hora vcs chegarão à conclusão que mesmo com tudo que aprenderam na vida ainda não possuem nenhuma resposta e continuam cada vez com mais questionamentos... Não reclamem, são eles que nos empurram e nos fazem seguir em frente.
·        Tratem sempre todos com igualdade, não importa a cor, a religião, à posição política, o time de futebol, a posição social... Mesmo com todas as diferenças somos sempre todos iguais e sempre temos o que aprender...
·        Sejam caridosos, lembrem-se sempre que problemas são problemas e dores são dores, não existe um maior ou menor do que o outro... Todos devem ser respeitados .
·        Dê sempre o melhor de si, na escola, no trabalho, na amizade, na família... Nem sempre encontrarão quem os incentive, então sejam seus maiores motivadores.
·        Orgulhem-se sempre de suas origens... Vocês só são o que são pelo acúmulo de experiências de suas gerações anteriores.
·        Cuidem, respeitem e amem os animais, lembre-se sempre que são seres indefesos, e mesmo os mais ferozes ou agem por instinto ou porque foram estragados por seres humanos maus. Eles precisam de nosso respeito e proteção, e muitas vezes serão eles a nos tirarem de uma grande enrascada ou até mesmo salvar nossa vida.
·        Mantenham a irmandade, e a fraternidade, lembrem-se sempre que cada um de vocês são parte de um mesmo corpo e que juntos são fortes e indestrutíveis.
·        Jamais se esqueçam de que não existe certo ou errado, excluindo as noções básicas de ética e moral de nossa sociedade: matar, roubar, humilhar, subornar, o certo é tudo aquilo que os faz felizes e os faz crescer, e errado é tudo o que os derruba e os entristece... E principalmente lembre-se e respeitem que estas noções básicas são validas para cada sociedade... O que é moralmente aceito em uma pode ser um crime terrível em outra... Todas merecem respeito e não existe uma superior a outra.
·        Acreditem em Deus, mas só sigam uma religião se esta realmente os complementar... não finjam uma fé, ou uma doutrina na qual não acreditam... Mas a Energia de Deus é imutável, e só através do religare que é pessoal e intransferível, conseguimos recarregar as baterias e ter forças para seguir em frente no meio das tempestades que por vezes aparecem em nossas vidas.
·        Brinquem, viagem, amem, sorriam, divirtam- se, a alegria é o único antídoto contra a depressão e a solidão
·        E o mais importante de tudo, nunca percam esta alegria e docilidade que possuem... Saibam que a mãe de vocês sempre os amou e se orgulhou de vocês acima de tudo!


terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Segue em Paz....

O Billy nunca foi um cão qualquer, sempre foi O Cão!!! Meu mais fiel companheiro, e que acompanhou toda a vidinha do HL e da Nine, quando eles chegaram à família o Billy já tinha seu lugar e sinceramente nunca me preocupei em como integrar as crianças ao cachorro e vice versa, eles simplesmente se reconheciam como parte do mesmo bando.
 Quando HL aprendeu a andar um dos seus brinquedos prediletos era ‘jogar bola’ com o Billy, e ficavam ali horas HL atirando a bolinha e o cão pacientemente devolvendo a ele... Lógico que também ocorreram fatos que deixariam a maior parte das mães de cabelo em pé, HL cansou de roubar ração do prato do Billy e tivemos um P trabalho para fazê-lo entender que gente não podia comer papa de cachorro que tinha bichinho e blablabla... Mesmo que o Billy roubasse comida de gente com uma sutileza de pata de elefante quebrada
Quando a Nine chegou, despertou no Billy todo seu instinto de guarda, não saía do lado da pequena e bastava ela resmungar para o cão ficar desesperado,  perturbando a minha vida e a da babá e fiel escudeira, só sossegava quando íamos ver a menina... E aquele cão quando queria ser chato, era com perfeição!!  Juro que não sei como a Nine não se transformou num poço de mimo com o Billy por perto.... Só que ao mesmo tempo em que ele amava e protegia a bebê  Nine, ele entrou numa crise paranoica de ciúmes de mim e manifestava isto fazendo xixi nas minhas costas e pernas sempre que tinha oportunidade, principalmente se eu estivesse com as duas crianças no colo... Foram dias de muiiiiitos banhos.
Com todo este histórico era de se esperar que as crianças fossem sofrer, e sentir falta do nosso velho cão, principalmente por terem presenciado e por ter sido da forma tão dolorosa que foi, mas como sempre respeitei o tempo interior de cada filho meu, não forcei nada e muito menos escondi nada, e muitas vezes o HL me consolou nestes últimos 2 dias quando me via chorando a falta do meu maior companheiro. Eles sabiam que também podiam chorar, falar ou calar, a opção era deles... E se mantiveram calados até ontem à noite.
Estava no FB, vendo novela e brincando com eles (as mães obrigatoriamente são multi tarefas), quando os dois pedem colo e HL, meu mini ogro, começa a falar do nosso companheiro... Teme que ele esteja com frio, que esteja sentindo saudades, que não tenha ninguém para fazer carinho nele, e que ele não está com nenhum dos seus brinquedos... Lembrei a ele, que como ele mesmo vinha falando desde a madrugada do réveillon, O Billy estava no céu dos cachorrinhos e que papai do céu ia cuidar dele... Não convenci o moleque, que apesar de saber que papai do céu agora cuida do nosso amigo, insiste que ele está com saudades da gente e dos brinquedos...
Tive que concordar com meu mini ogro, certamente nosso cão está com saudade da gente, da mesma forma que a saudade dele tem doído lá no fundo, houve alguns minutos de silêncio até que a Nine, super mini diva me saí com a solução: ‘Mãe podemos levar um brinquedo dele e um nosso com nosso cherinho e deixar lá para ele não ficar sozinho... ’, Boa solução, mas onde deixar Nine? Afinal ele está no céu dos cachorrinhos, não temos como ir lá... Argumento segurando as lágrimas de saudades do meu velho cão e de emoção pela docilidade dos meus filhos.  Pausa novamente, e HL mini ogrinho, saí com a solução perfeita: ‘ Mamãe, o Billy foi para o céu dos cachorrinhos lá na praia, e ele não ia saber achar o caminho para vir aqui em casa, então a gente volta lá e deixa lá perto um brinquedo dele e um nosso com nosso cherinho. Ele é esperto mamãe, tenho certeza que se a gente gritar alto ele vai escutar do céu dos cachorrinhos, e o caminho até a praia ele CONHECE!’ Nisto os dois saíram correndo para separar o brinquedo do Billy e o deles com cherinho...
 Hoje à noite iremos voltar lá, deixar nossa lembrança ao nosso velho amigo cão e tenho certeza que HL tem razão, ele sempre ouvira nosso grito, da mesma forma que sempre fará falta nas nossas vidas.
Segue em Paz Velho Companheiro de Jornada!
Billy no carro em uma das tantas viagens que nos acompanhou