sábado, 31 de dezembro de 2011

Que Venha Dois Mil e DOCE

Ando devagar
Porque já tive pressa
E levo esse sorriso
Porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte,
Mais feliz, quem sabe
Só levo a certeza
De que muito pouco sei,
Ou nada sei
Conhecer as manhas
E as manhãs
O sabor das massas
E das maçãs
É preciso amor
Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir
Penso que cumprir a vida
Seja simplesmente
Compreender a marcha
E ir tocando em frente
Como um velho boiadeiro
Levando a boiada
Eu vou tocando os dias
Pela longa estrada, eu vou
Estrada eu sou
Conhecer as manhas
E as manhãs
O sabor das massas
E das maçãs
É preciso amor
Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir
Todo mundo ama um dia,
Todo mundo chora
Um dia a gente chega
E no outro vai embora
Cada um de nós compõe a sua historia
Cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
E ser feliz
Conhecer as manhas
E as manhãs
O sabor das massas
E das maçãs
É preciso amor
Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir
Ando devagar
Porque já tive pressa
E levo esse sorriso
Porque já chorei demais
Cada um de nós compõe a sua historia
Cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
E ser feliz
Desde 2004 este é o HINO da MINHA VIDA... e é apenas o que desejo para mim e para vocês em 2012... Ir Tocando em frente, acreditando, tentando e errando... Errando , aprendemos, choramos, sorrimos e nos refazemos e ressurgimos ainda mais belas e mais fortes...
2012 não será perfeito, nada é, terá problemas, dores e dissabores, espero apenas ser capaz de olhar através de uma nova perspectiva  e tentando muito não me esquecer que:
Cada um de nós compõe a sua historia
Cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
E ser feliz

 Então, borá comigo compor sempre uma nova história utilizando o máximo o dom de se CAPAZ e ser FELIZ. Tô te esperando... Vem se jogar comigo de cabeça no Lindo do 2012!!! Bora Lá encarar os problemas de peito aberto, cabeça erguida e um puta sorriso no rosto tendo a certeza que temos o Dom e a Capacidade de simplesmente ESCOLHER SER FELIZ

Ps: o título desde post não é mais um dos ataques de dislexia da autora...

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

BC: Ser Gentil Vale a Pena

Apesar de adorar a Rogéria e achar o tema da blogagem coletiva: SER GENTIL VALE A PENA, o máximo, este mês não iria participar, a correria do Fim de ano, o Lerdibook apresentado claros sinais de velhice e esclerose... Ia deixa para o próximo, o primeiro do Ano Novo.Só que hoje de manhã ao vir para o trabalho, recebi uma gentileza tão grande de um desconhecido que simplesmente não podia deixar passar em branco.
Todo mundo sabe que sou um poço de destrambelhamento, afinal quem mais conseguiria cair de peito no chão em plena Copacabana, 4 dias depois de colocar Silicone e arrebentar TODOS os pontos? Ninguém né?
Pois então, estava eu vindo para o trabalho, caindo de sono e dormindo em pé, lépida e fagueira, niquí ao colocar o pé no chão para atravessar a rua, tenho uma torção horrível no tornozelo direito... O sinal de pedestres começa a piscar indicando que o sinal de carros vai abrir, e a indecisão entre correr com um pé só ou virar paçoca no asfalto da Cinelândia toma conta de mim... E antes que eu entre em surto, um senhor vem em minha direção, faz sinal para os carros esperarem e  me ajuda a atravessar a rua. Me dou conta então que aquele senhor com um sorriso no rosto de seus prováveis 60 e tantos anos é um dos taxistas do ponto próximo ao meu trabalho... Me conduz ao ponto, me senta em uma cadeira e mesmo diante dos meus protestos de que já estou melhor, tira meu sapato e  delicadamente massageia meu pé e tornozelo, ali, no meio da calçada, até que enfim eu consiga movê-lo sem dor e possa caminhar tranquilamente...
Agradeci muito àquele senhor, mas o que talvez ele nunca venha, a saber é que muito mais que o agradecimento aos cuidados e à massagem que fizeram minha dor sumir a até a vergonha do quase estabaco desaparecer. Agradeci a ele por, com seu grande gesto ter me ajudado a acreditar um pouquinho mais no ser humano.. E não posso reclamar. Apesar do ano duzinferno, este ano foi recheado de pessoas lindas, muitas que ficaram na minha vida, outras como este senhor que só passaram, mas que com certeza fizeram a diferença curaram alguma ferida e me faz cada dia mais ter a certeza que acreditar no outro vale à pena.


quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

2011 bunitinho...

Estava aqui conversando com meus botões e analisando 2011, ano duzinferno, lembrei de muita coisa que minha mãe, a senhora otimismo em pessoa, sempre fez questão de frisar ... Lembrei da amiga querida, que mesmo  com um filho deficiente, uma adolescente, e outro moleque de tudo, está sempre rindo, pronta a acolher e que encara sempre os problemas de peito aberto e uma sonora gargalhada. Mesmo quando roubam o chaveiro de oncinha que ela ama na maior cara dura. Lembrei de outras amigas gostosas, que SEMPRE que a carga ficava pesada demais, corriam em meu auxílio, dividindo o peso, carregando a cruz e me empurrando a continuar. Lembrei de outra amiga, que  vem lá da infância, com quem dividi as brincadeiras, as primeiras paixonites infantis, e que a vida afastou e o FB fez o imenso favor de trazer de volta, e hoje psicóloga, algumas vezes até sem saber realmente o que estava rolando me jogava a corda e me puxava lá do fundo me fazendo ter um pinguinho de fôlego.
 E aí resolvi descobrir algo que tenha sido bom em 2011, afinal NADA no mundo pode ser só dor e sofrimento... E confesso não precisei me esforçar muito para descobrir.
Vi 2011 checar na varanda dos meus pais, com a família toda reunida e não tem NADA no mundo que pague a fisionomia de ORGULHO e de dever cumprido que meus pais possuíam naquele instante ao ver a família que eles lutaram tanto para construir, ali, confraternizando, felizes... Em seguida, minha Nine ganhou sua primeira festinha de aniversário exclusiva, como faz aniversário 4 dias depois da Zebra, suas duas festas anteriores haviam sido compartilhadas, e a alegria dela ao me ver preparar cada item de sua festa da moranguinho foi simplesmente impagável... Em Fevereiro, apesar de a faxina interna mexer em feridas antigas, ela também liberou espaço para que eu entendesse quem eu realmente era, e com ela veio a determinação de voltar a cuidar de MIM, e com esta mudança vieram as plásticas (lipo e mama), reformulei meu guarda roupas, aceitei que dificilmente voltarei a ser magérrima e que posso sim ser feliz e bela sem seguir o padrão 38...
 Pouco antes da descoberta do câncer mamãe, passou dias deliciosos na minha casa, ganhou até festinha de aniversário surpresa, afinal chegou aqui só dois dias depois do niver... Os problemas sério que tive com a Zebra serviram para que ela amadurecesse e principalmente para que eu percebesse que nem como mãe eu tenho todas as respostas, que até como mãe tenho muito mais perguntas do que respostas. Tive vários problemas com um chefe, que fez com que eu adoecesse e pela primeira vez na vida me fez questionar se era realmente isto que queria para minha vida, mas que superei de cabeça erguida, sem vacilar mostrando apenas capacidade técnica e hoje sou respeitada por toda a empresa inclusive por não ter abandonado o barco quando tentaram fazê-lo naufragar.
Este ano também me trouxe amigas fantásticas, pessoas sem as quais certamente não teria suportado, que só por elas me mantive em pé, com coragem para continuar, ainda me presenteou com o retorno de outros amigos mais que especiais, que a vida tinha levado para outras praias e que a tecnologia  trouxe de volta, e como a amizade que nos unia sempre foi real, nem os anos afastados foram capazes de diminuir o laço.
 E aí percebi que apesar deste ano ter sido  $%#$@#@# e &¨&*%$#@ e &%$$#$@#@ (palavrões tão fortes que foram censurados até por uma boca suja de primeira como eu), ele também foi um ano de crescimento e principalmente fortalecimento, a cada porrada, eu levantava e cada vez eu estava mais forte, aprendi a aceitar a minha fragilidade e a fazer DELA a minha fortaleza e que muito do que foi insuportavelmente doloroso, se não tive culpa tive responsabilidade... Obvio que não escolhi passar por tudo que passei, nem um idiota seria capaz de escolher passar por tantas provas ao mesmo tempo, a vida me impôs... e quando a vida impõe... Ferrou, é pagar para ver e encarar... MAS, se não escolhi passar, ESCOLHI COMO passar, e hoje vejo que muitas vezes dei mais valor às perdas do que as conquistas, que muitas vezes fingi ser forte quando podia ser frágil. E que a dor certamente seria inevitável, mas as cicatrizes que carrego poderiam ser menores...
E graças a Deus, o ano duzinferno está acabando e com certeza ele não vai deixar saudade NENHUMA, mas vai deixar amadurecimento e aprendizagem e talvez a minha principal meta para 2012 seja rever a FORMA de encarar meus problemas, acreditar cada vez mais no outro, sim este ano serviu para me provar que mamãe está certa as pessoas são gente boa por default, os fdps só estão por aí para comprovar a regra e estes a gente lima e joga no vácuo. E principalmente lembrar que é na minha fragilidade e na minha alegria que me faço forte!!!


Ps: e quem sabe 2011 ainda me prove que ele não é um FDP sem caráter nem coração, e me presenteei com a mega da virada pouquinho antes de cair no limbo dos anos duzinfernos.



quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Minhas crias e os gays... E aí?


Ontem me lembrei de uma pergunta que uma amiga querida fez há alguns dias atrás ela queria sabe se eu seria madrinha de casamento de um casal gay, e se deixaria as crias conviverem com este casal numa boa.
Respondi que sim, que seria madrinha e que deixaria as crias conviverem de boa, mas que não deixo que os meninos convivam com gays de forma geral, mas como estávamos no trabalho conversando pelo Facebook o papo não pode evoluir e acabou por ali. Agora aproveito para explicar para ela o porquê desta posição...
Apesar de já ser quase quarentona e da ‘liberdade gay’ ter surgido há pouco tempo, convivo com homossexuais desde sempre. Tive dois tio avós e um tio que foram gays e sempre conviveram conosco de forma tranquila e respeitosa.
O tio avô do lado materno, era uma coisa de classe, usava peruca, apesar de negar até a morte e quiçá depois dela, gostava de artes, culinária, produzia peças infantis  e vivia com um rapaz que hoje sei que era seu companheiro, mas quando criança era apenas o JHGTFTE, Amigo do Tio e que de certa forma fazia parte da família... Cansei de ir às peças que produziam, e me sentia mega orgulhosa e importante em cada espetáculo, por saber que era o meu Tio e o JHGTFTE quem tinham feito aquilo tudo acontecer.
O outro tio avô, este do lado paterno, era uma figuraça... Gordo, alegre, bonachão, era o tio que sumia minutos antes do papai Noel chegar de caminhão naquela rua do subúrbio carioca que escrevi aqui... Impossível ficar triste ou sem rir perto dele, um filho fantástico quem cuidou com carinho e dedicação de minha bisa até o fim e nunca perdeu a paciência, mesmo quando ela ficou absolutamente esclerosada... Ele nunca chegou a viver com ninguém, mas também tinha um companheiro, o FNBVC, com quem também convivi desde sempre e que esteve com ele até o fim em 2004.
O Tio de verdade, era o descolado, viajou o mundo, viveu em Paris, e como toda pessoa sensível era extremamente ligado as artes e a moda, tinha um olhar apurado e durante anos atuou como estilista de uma grife conhecida, o que eu amava já que normalmente ganhava muitas peças desta grife antes mesmo de chegarem as lojas.... Desde criança conheci alguns dos seus namorados, depois que cresci cheguei a dar em cima de um namorado novo sem saber que eles estavam namorando.
Conviver com homossexuais desde sempre só me fez crescer  acreditando que o que realmente vale é o amor, o carinho, o respeito, o partilhar, e isto independe de ser hetero ou homo... Mas porque eu temo que as crias convivam com gays de forma geral? Simples, por que hoje vejo que muitos estão muito mais interessados em agredir a sociedade do que viver em paz com seu companheiro tendo seus direitos e DEVERES de cidadão, de ser humano... 
Como diz um amigo (homossexual) ele não precisa participar de beijaços ou ir para uma parada gay ficar se esfregando no marido para ser respeitado, que respeito ele conquistou com atitudes, se posicionando como ser humano... Que para ser respeitado ele não precisa agredir, ou chocar, precisa apenas ser ele mesmo...
Infelizmente o que vemos muito hoje na comunidade gay é justamente o oposto, são homens e mulheres que pensam que chocando a sociedade conquistarão respeito.  Com isto só conseguem serem ainda mais desrespeitados e agredidos e reagem de forma ainda mais agressiva formando uma bola de neve sem fim...  Da mesma forma que não fico ‘namorando’ de forma explicita em publico, não gosto de o façam na frente dos meus filhos, independente da orientação sexual da pessoa. Só que infelizmente muitos homossexuais acreditam ter este ‘direito sagrado’ e se vc reclama e olha torto, não é porque ELES estão passando dos limites, é você que é homofóbico ou reacionário...
 Na ultima parada gay, que infelizmente é super próxima da minha casa, em muitos momentos EU me envergonhei, para sexo explicito faltava muito pouco ou quase nada. E a histeria que se tornou o bendito ‘kit gay’ que queriam empurrar goela abaixo da sociedade brasileira? Só faltava um personagem afirmar que você é obrigado a ter experiências homossexuais...  do resto tinha tudo! Gritam contra as religiões que consideram o homossexualismo pecado, mas esquecem que a liberdade de credo é uma das bases de nossa constituição, até onde sei religião nenhuma afirma que os Gays devam ser eliminados da face da terra, apenas dizem que segundo o que acreditam o ATO homossexual é pecado!
Vejo muitos gays querendo se impor na marra, à força e esquecem que o outro tem os mesmos direitos que dizem estar cobrando... Ninguém tem o direto de atacar, descriminar ou agredir um ser humano por sua orientação sexual, entretanto ninguém é obrigado a pensar que a orientação deles é correta, ou ser atacado e agredido por PENSAR diferente...  Enchem a boca para gritar sobre o ‘orgulho gay’, mas no dia em que um hetero ousou falar sobre o ‘orgulho hetero’ o mundo caiu e em meio segundo pedras foram atiradas!!!
Então como disse lá no início não tenho nada contra  que meus filhos convivam com homossexuais, mas sim tenho TUDO contra a meus filhos conviverem com seres humanos que não sabem se portar e adoram gritar ao exigir seus direitos e esquecem de cumprir seus deveres. A sexualidade de uma pessoa é SIM uma questão particular e intransferível, e até acredito que em muitos casos a pessoa já nasce com esta orientação, mas se a orientação sexual não é uma questão de escolha, a forma com que o ser humano  trata a questão, e se comporta e se coloca diante da sociedade, é sim escolha!
 Então enquanto boa parte dos homossexuais continuarem a escolher se impor através da vulgaridade, da força, do escândalo, vou sim exercer o meu direito de escolha e impedir que meus filhos , convivam com este tipo de ser humano. Quero distancia e pode berrar que sou homofóbica, me processar, fazer Belém Belém pra nunca mais ficar de bem... Mas se você, como alguns amigos queridos e meus tios amados, é um gay do bem, que só tá a fim de viver e ser feliz, de fazer valer os seus direitos sem invadir o espaço do outro, quer apenas viver a relação que tem com respeito, amizade, companheirismo e AMOR, vem se jogar com a gente e me ajudar a criar criaturinhas como você, que vão crescer sabendo que para ser respeitado e bem sucedido não é necessário chocar e ofender, apenas respeitar e partilhar!!!!

Atualizando, lembrei de uma frase do meu tio avô papai noel que amo:
"Tem que ser MUITO HOMEM para ser GAY!!!!!"

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Bora errar?

/
Ontem fui dormir e hoje acordei pensando nas pessoas que SE JULGAM perfeitas, aquelas que acreditam que suas vidas são exemplos e que sempre tem todas as respostas e soluções prontas para todos os problemas da humanidade...
 Primeiro fiquei com raiva, logo em seguida me enchi de vergonha alheia, para finalmente ter o sentimento que menos gosto: piedade! Pois é, pena mesmo sabe? Comecei a analisar melhor a vida destas pessoas e foi caindo à ficha do quanto são vazias e rasas... E por mais que se considerem as perfeitas... As sabias... As gênias... As especiais... São apenas rasas, mimadas e fúteis e no fundo extremamente medrosas e infelizes, na verdade são aquelas que não tiveram coragem e/ou oportunidade de viver e tentam desesperadamente vivenciar o que almejam através de suas soluções prontas e seu discurso afiado.
 Um dia cheguei a pensar que as criaturas perfeitinhas estavam todas inseridas ou incluídas no nicho das boazinhas, das coloridinhas, das meiguinhas e das naturebas... Doce ilusão. Infelizmente descobri que se bobear as perfeitinhas estão muito melhor escondidas no meio dos descolados, das pessoas que vivem de verdade, mergulham fundo, afinal é um meio muito mais propicio a manterem a pose de inatingíveis, resolvendo a vida de todos com receitas de bolos simples e sem gosto, e escondendo seus mimos e falta de educação atrás da desculpa da autenticidade.
São aquelas que sem jamais terem parido, conhecem todas as regras e normas de educação, mas que ao primeiro espirro de uma criança se desesperam e se descabelam... São aquelas que juram que entendem tudo de economia domestica, entretanto não tem nem ideia do que uma casa precisa para sobreviver um mês... Elas nunca tomaram um porre, nunca sofreram por amor, nunca tiraram uma nota baixa, nunca perderam um grande amigo, nunca bateram com o carro... Ou pelo menos não admitem isto nem sobre a mais severa tortura e se vc pobre e comum mortal sabe algo que a perfeitinha fez, mesmo que tenha sido fazer xixi nas fraldas quando tinha 3 dias de vida, faça um favor para si mesmo, convença a si que VC É MALUCO e que aquele fato não passou de um surto esquizofrênico que VOCÊ sofreu... Afinal VOCÊ sempre erra, ela é sempre a perfeita...
Tenho pena, são pessoas que normalmente tem medo de viver, nunca se mostram de verdade para ninguém e com isto jamais experimentam o prazer REAL da troca, do complementar... Não sabem a delicia que é vencer aquele mês em que o salário acabou muitos dias antes do fim do mês... Não sabem a delicia de se dar o direito de recomeçar depois de cada erro e de tentar novamente e fazer um novo caminho...
E nesta miscelânea de pensamentos chego à conclusão que não quero ser perfeita, não quero ter respostas simples , muito pelo contrario, quero errar, chorar, sangrar e tentar de novo e sorrir e acertar... Quero mergulhar fundo... Não quero o politicamente correto, não quero fingir que concordo com o que se tornou descoladamente aceito... Quero me dar o direito de ser moderna e careta, de amar Sex Pistols e implorar para ir ao show do Bruno & Marrone, quero ter amigos homossexuais e acreditar que as igrejas têm sim o direito de considerar o homossexualismo um grande pecado, quero poder ser amiga de sicrano mesmo que ele odeie meu amigo beltrano, quero poder amar os animais e ainda assim acreditar que o ser humano vale mais, quero o direito de admitir que muitas  algumas vez eu adoraria trocar meus filhos por ‘sabambaias de prasticu’ sem que isto signifique que eu os ame menos, quero ir ao Mc Donald com meus filhos, enche-los de coca Cola e proibi-los de brincar de luta, com armas ou assistir desenhos que eu julgo impróprio sem ter que ser liberal ou conservadora, sendo pura e simplesmente mãe, quero mudar de ideia 500 vezes no dia e refazer de novo e admitir cada erro e cada tropeço que eu vier a dar simplesmente por não ter razão para esconder.
 As criaturas perfeitinhas????????? Ah... Deixa elas... Estão por aí catando problemas alheios para resolverem, fuçando, pesquisando, analisando cada fôlego dos outros na tentativa vã, de nem que seja através do problema dos outros, ter algum gostinho da emoção e da alegria de se jogar na vida!
 Eu to Indo ali, errar mais um pouquinho, acertar mais um tantinho e me preparar para me jogar de cabeça na parte mais funda de toda delícia que 2012 tá prometendo trazer!

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Definitivamente FELIZ

Como falei no ultimo post 2011 foi literalmente um ano duzinferno, dezembro veio marcando a fogo para deixar sua marca, mas para provar que minha mãe estava certa ao fazer questão de incutir nos filhos um baita de um complexo de Polyanna, o Finzinho de 2011 veio para provar que apesar de tudo a felicidade é possível e real!!!
O Natal definitivamente foi mágico, e posso garantir sem medo de errar que foi o mais abençoado de toda a minha história... Já no dia 24 pela manhã fui dominada pelo espírito natalino, intuitivamente veio a tona tudo que meus pais sempre fizeram questão de nos mostrar que realmente vale a pena e resolvi deixar as dores de lado, mandar o mimimi para o quinto dos inferno e FAZER VALER A PENA...
Mantive a tradição, lombo, tender AGRIDOCE, finalmente achei uma receita parecida com a do dindo que virou viado e afrescalhou o tender de natal acabando com a tradição familiar, Lombo, arroz, farofa, batata palha, castanhas, pavê e claro muitas rabanadas.... Simples? Provavelmente, mas a ceia que NÓS AMAMOS!!! Musiquinhas com as crianças e próximo a meia noite a esperada visita de papai Noel... As crianças foram entretidas e Papai Noel chegou, arrumou os presentes embaixo da arvore, e como este ano estava faminto e porquinho, roubou castanhas e rabanadas da mesa, deixando um rastro de sujeira, inclusive rabanadas mordidas em cima do sofá e no batente da janela.... A alegria das crias ao perceberem que SIM elas estavam certas e que SIM o bom velhinho tinha ido a sua casa não teve preço... HL ria, gritava e tremia de pura emoção e Nine mal conseguia falar olhando admirada a bagunça que o papai Noel havia promovido em sua casa!!!!
Dia 25 a magia de Natal se tornou completa, acordamos muito ansiosos com a chegada da Zebra, afinal já fazia quase 6 messes que só tínhamos nossa querida Zebra quadriculada através da Embratel,  Viva o plano de DDD ilimitado da Embratel!!! Ficamos brincando e a farra quando finalmente estávamos COMPLETOS foi imensa... Gritos, risadas, ataque de cosquinha, brincadeira e mais comilança alegrou nossa tarde....
 A noite chegou, mas a saudade ainda era imensa... E quem disse que qualquer um de nós quatro conseguíamos nos separar? Pulamos todos na minha cama, ar condicionado bombando e cobertores a postos, foi hora de ver Chaves sem me irritar, JURO!  E novamente me sentir completa, sentido o cheiro, o tato, de cada um daqueles sererezinhos que gerei, pari, alimentei e cuidei... Dormiram os três na minha cama e fiquei alguns minutos ali petrificada, olhando cada pedacinho deles, ouvindo a respiração e percebendo que eles são o espinafre do meu Popeye, O Sansão da minha Mônica, a moedinha nº 1 do meu Tio Patinhas e o caminho de volta da minha Caverna do Dragão!!!
E aí novamente me tornei invencível, podem vir doenças, terremotos, maremotos, dores, ferro e fogo. Novamente sou INDESTRUTIVEL, novamente fui recarregada... tenho a força e a energia que só as mães são capazes de ter, pois é apenas através deles, nossos filhos, a perpetuação de nos mesmos na terra que adquirimos o real poder da Fênix, e aí nada mais é difícil, nada mais é dolorido, nada Maia é impossível...
 Então senhor 2011 duzinferno, pode pegar sua malinha, catar seu chapéu de coco e ir levar infelicidade para outra freguesia, pois mais uma vez meus filhos, meus maiores e irrestrito amores me salvaram e com eles em festa vou esperar o lindo do 2012, com todas suas promessas e esperanças de renovação



sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Eu, os Bichos e não entendo....

Como todo mundo tá cansado e careca de saber eu amo bichos, fui criada numa família que também os ama e os respeita e ai de um de nós se meu pai sonhasse que um dia pensamos em maltratar um rato que fosse... Passei minha vida inteira cercada por eles... Cachorros, hamesters, peixes, pássaros, porquinhos da índia, tartarugas e mais recentemente perdi minha cisma com gatos e passei a cria-los e a admirar sua autoconfiança e autonomia...
 Destes tantos bichos, claro que houve aqueles que se tornaram mega especiais:
O Yuki, meu primeiro cão um pastor imenso que adorava me levar para passear montada em cima dele fazendo-o de cavalinho...
A Karina, uma pequinês mimada, que nem minha era, era da minha avó materna, mas estava sempre conosco e quando morreu  velhinha a família sofreu e vovó nunca mais quis outro bicho na vida dela...
O Bidu, meu lindo poodle vegetariano, carioca safado dos olhos azuis e que fazia qualquer gracinha por um pedaço de banana e morreu atropelado, me fazendo ir de calcinha e camiseta para o meio da rua recolher seu corpo e chorar a sua morte...
O Astro, um lindo pastor Belga, que com certeza tinha muito a ensinar sobre Paternidade a muitos humanos... Cuidava de suas crias mais do que da cadela e sofria a cada vez que um filhote seu era doado...
 O Adolfo, Gato preto safado e carente que dormia mamando na nossa orelha e chorava quando a Zebra ia para escola, viciado em quindim, um dia ficou trancado na geladeira e deu fim a um ‘doce amarelo’ inteiro que acabara de ser preparado para a sobremesa de domingo. Saiu de lá gelado, todo sujo de quindim e ganhou um belo banho de chuveiro para limpar a melequeira lambendo os bigodes, feliz da sua vida felina.
E como não podia deixar de ser o Billy, meu Preto cego, maior e melhor companheiro!!! Fiel, amigo, cuidadoso, carinhoso... Percebe qqr coisa comigo antes mesmo que aconteça e que jamais me deixa sozinha quando estou precisando, mesmo que isto signifique ignorar seus instintos e necessidades básicas, incluí aí xixi, água, comida.... Dorme na minha cama e jura que é uma das crias.
Então, amo e respeito os animais, eles fazem parte da minha vida e não a imagino sem eles.  Mas, tudo na vida sempre tem um mas né? Não estou conseguindo entender esta paranoia que os pets estão virando nos dias atuais... Não entendo como um ser humano gasta mais do que muitas famílias tem para viver o mês inteiro, em uma hora num pet shop de luxo comprando perfumes e lacinhos para os seus bichos... Não entendo quando um ser humano compara a vida de um animal à vida de uma criança. Não entendo como um ser humano acha que outro ser humano merece ser torturado e até morto por ter cometido um crime SIM ao torturar um animal, mas será que estes que apedrejam e lincham um ser humano por torturar um animal não são exatamente iguais ou até piores que o que torturou o animal?  Não entendo como um ser humano consegue igualar a morte Barbara e violenta de uma criança à morte Barbara e violenta de um animal! Não entendo como um ser humano afirma ficar em duvida se uma hora tivesse que escolher entre salvar a vida de um animal ou de outro ser humano... Não entendo como alguém diz amar tanto seus cachorros quanto seus filhos, amo meus bichos sim, mas nada se compara ao amor que sinto pelos meus filhos... Para mim a vida e a DIGNIDADE humana estarão sempre acima da vida e da dignidade de um animal...



terça-feira, 20 de dezembro de 2011

2011

Da mesma forma que as vezes temos dias que não deveriam ter existido hoje , tenho a certeza que ESTE ano não deveria ter existido e por favor poupem meus ouvidos de comentários religiosos que estou com o cão, sem um pingo de esportiva e  bloqueio teu ip. ponto paragrafo.
Começamos em Janeiro Festas em Brasília, 12 dias inteiros babando meus velhos e aproveitando a companhia dos meus irmão e amigos queridos que por lá ficaram, acreditava que 2011 prometia ser O ano, só não imaginava que ia ser O ano do capeta.  chegou a hora e voltamos. muitos beijos em  todos, lagrimas nos olhos, porta malas do caro lotados,meninos amarrados nas cadeirinhas, Zebra de cara amarrada por ficar presa no meio dos irmãos pelas proxímas 17 horas e pegamos o rumo do Rio de Janeiro... passando a divisa do DF com GO o carro se rebela e FUNDE o motor!!!!!!!
Fevereiro foi mes de reflexão interna e resolvi voltar a cuidar de mim, mas esta faxinas internas são sempre dolorosas...
Março chegou e com ele minhas plasticas... mas como elas foram feitas em 2011 obvio que ia dar merda.... 24 horas depois tive uma hemorragia no seio esquerdo e tive que reoperar o mesmo, os curativos precisavam ser trocados com mais frequência e mamãe começou a se preparar para vir me ajudar em 5 dias.... Agora digam, qual a probabilidade de um ser cair de PEITO no chão em plena Copacabana? tende a zero? Pois é EU CONSEGUI.. 4 dias depois do implante de silicone, 72 horas depois de operar o seio esquerdo duas vezes seguidas caí de PEITO em plena Santa Clara e claro também que foi com o seio esquerdo, resultado, o pobre que já tinha sido duplamente machucado pelas cirurgias abriu TODOS OS PONTOS e eles tiveram que cicatrizar na marra e com muita câmera hiperbólica!!!!
Abril trouxe com ele a notícia do Tumor da mamãe. Maio trouxe junto a confirmação que era câncer e que já estava imenso. Junho chegou  com ele problemas gravíssimos com a Zebra que foi despachada para Brasília. Em Julho foi o incio do tratamento pesado para o CA de mama da mamãe..
 Agosto chegou chegando, problemas graves no trabalho me levavam para o hospital semanalmente com um stress desgraçado... Setembro trouxe o despertar do Sjogren, novas crises de Hipocalemia, Paralisa e dores lancinantes.... Necrose muscular é coisa para MACHO!!!!
Outubro trouxe a mastectomia radical e minha impossibilidade de acompanhar minha amada mãe. Novembro chegou com notícias de que o câncer era mais agressivo que o esperado e  mais preocupação, quimio pesada e radioterapia dobrada.... e aí chegou Dezembro...
Comecei a respirar, afinal o ano duzinferno estava ficando pra trás e o lindo de 2012 estava pertinho... Doce Ilusão da palhaça que vós escreve...afinal era Dezembro de que ano? de 2011 e como não podia deixar de ser ele ia se de phuder a vida!!!! Primeiro a notícia que o câncer já não era mais grave, ou agressivo, era MUITO GRAVE e MUITO AGRESSIVO!!!!! E pela primeira vez me vi realmente no chão!!!! briguei de vez com deus, com o cosmos e toda esta baboseira... não tinha nem começado a ficar de joelhos e como num mar de ressaca a vida me dá outra pancada que me joga para o fundo e não me permite mais respirar.... e junto a Nine que NUNCA fica doente resolve começar a parar de comer, ter febrão e reclamar de dores fortes no abdomem....
Ainda faltam 11 dias para este maldito acabar e por mais que diga que nada mais de ruim pode acontecer... sei não... ainda estamos em 2011, então numa boa, começo a pensar seriamente em dar um pulinho no hospital e implorar por um coma induzido de exatos 11 dias.... vai que fingindo de morta o 2011 duzinferno acredite e me deixe quietinha só esperando por 2012... ou o ano mais aguardado de todo o século!!!!!


sábado, 17 de dezembro de 2011

Então é Natal.... A missão

Ok Já falei que eu Odeio o Natal, mas como todo mundo cansa de saber sou um ser contraditório e como tal AMO a figura do Papai Noel.  Não sei se é porque ele sempre foi bonzinho comigo e atendeu meus pedidos natalinos ou se porque minha mãe fez questão de fazer lavagem cerebral na cabeça dos filhos e nos fez acreditar que manter a inocência e as lendas vivas é fundamental para a cabeça e estrutura emocional de qualquer criança e como desde sempre convivo com crianças...
 Faço questão de manter todas as lendas e tradições de natal vivas para as crias, e por mais que eu resmungue basta chegar Dezembro para eu me envolver em todas as atividades típicas da época... Ensaio todas as musiquinhas bregas com as crias e ainda tenho a cara de pau de fazer coreografia. A cartinha de Papai Noel é escrita logo nos primeiros dias e deixada aos pés da árvore para o duende pegar na madrugada ,e o HL JURA que vê o elfo em questão pegando as cartas, não eu não dou jaca estragada para o menino comer no café da manhã.    Estapeio outras mães nas lojas de brinquedo em busca do desejo alimentado durante o ano. Faço chantagem barata com as crias ameaçando com a não vinda do Papai Noel a cada pequeno deslize infantil e obvio passo horas a fio enfurnada dentro da cozinha preparando todas as delicias natalinas, menos o tender que nunca fica igual ao do meu padrinho antes dele virar  gourmet e mudar a receita do tender bregadivino para tender chique ruimpracaete  - Se vc tiver uma receita maravilhosa de tender BREGA e deliciosa, por favor me manda?- e nem xingo muito  quando me queimo com o óleo fervendo das rabanadas....
 E Por quê? Simples! Como falei lá em cima, mamãe fez lavagem cerebral nos filhos e por mais que eu odeie o natal, eu AMO meus filhos e acredito que eles merecem ter uma infância plena, cheias de fadas, Papais Noeis, Coelhos da Páscoa e bichos papões (porque não?). Acredito que é isto uma das coisas que fazem parte da educação de gente do bem, ética, comprometida...  então por mais que eu odeie natal e propague isto para todos os cantos, menos para as crias, Sim, eu minto para meus filhos, me processe!  Não estranhe se me encontrar por aí cantando Noite Feliz com um sorriso de orelha a orelha!



sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Então é Natal.....



Então é Natal.... E como não é segredo para ninguém, eu NÃO GOSTO de NATAL!!! E Não, eu nunca tive um trauma de natal ( Aliás, graças a Deus ainda faço parte da geração dos não traumatizáveis)... Todas as minhas lembranças de natal na infância são perfeitas, muitos passeis no subúrbio do Rio de Janeiro com toda a alegria que a zona norte carioca tinha nos anos 70 e 80, outros tantos a festança era na casa da mamãe em Brasília, com toda a família materna reunida e mais os agregados, amigos queridos que sem família em Brasília sempre adotaram  as festas de Natal da mamãe como suas...
 No Rio a rua era fechada e lá pelas tantas  Papai Noel, chegava de caminhão com os presentes de todas as crianças da rua... E Não, eu Nunca me questionei porque ele vinha de caminhão e não de treno, nem porque meu tio festeiro, brincalhão e goooooordoooo sempre sumia minutos antes da chegada do Bom Velhinho. A comilança devia ser grande, mas juro que não lembro, estávamos ocupados demais brincando coletivamente na rua com nossos presentes natalinos.
Em Brasília, a festança sempre ficou a cargo da mamãe. Esta sim ‘nataleira’ de mão cheia, daquelas que começam a pensar na festa de natal 25 segundo após a virada do Ano Novo, nos 24 segundos anteriores ela está ocupada agarrando e amassando tudoque é filho, neto, marido, cachorro, papagaio e agregado e chorando igual uma besta.  E a farra nunca era pequena, e apesar de papai Noel tornar a árvore sempre gorda e brilhante, afinal todo mundo que não tem família em Brasília e que é amigo da prima, do vizinho, do colega de tralho do irmão do cunhado, acaba passando a noite lá em casa, o que me marca nos Natais Brasilienses é a comilança, Vó Bolinha fazendo rabanadas e Vó Zilda invariavelmente roubando as primeiras ainda na tarde do dia 24. O Tender do meu Padrinho que esperávamos o ano inteiro para comer e que ano passado ele resolveu virar Gourmet e mudar a receita por uma chiquetossa e arrasou com nossas esperanças natalinas e todo  o resto que certamente daria conta de alimentar a população da Romênia por cerca de 23 dias e meio...
TBM não odeio natal por razões sociofilosoficas, lógico que detesto saber que no meu País ainda existem pessoas que vivem na mais absoluta miséria, mas quer saber?  Pode me odiar a vontade, mas não tenho absolutamente NADA contra o capitalismo, todos trabalhamos incansavelmente, estudamos para caramba, ralamos o ano inteiro, creio que temos o direito sim de ter uma arvore e uma mesa farta na noite de natal. E NÃO, não tenho a mínima pretensão de consertar o mundo...
Então por que eu Odeio Natal? Pode ser por pura frescura, ou pelo fato de odiar fazer compras e gezuis, como temos compras para fazer para este tal de natal!!! Ou talvez porque sou idêntica ao chato, irritante e velho babão e bobão do meu pai e herdei o odeio dele por natal ( que ele tbm não sabe explicar) geneticamente ou por pura osmose... Sei Lá!!!! Nunca disse que eu tinha a resposta... Só sei que sim eu odeio o natal, mas prometo que por mais que ele me irrite serei uma boa menina e não sequestrarei as renas (nem a bateria do caminhão), quem sabe assim ele continue sendo um bom velhinho para mim e não me traga de presente o Box do Jorge Amado com os 4 livros  das ‘mulheres de Jorge’: Dona Flor, Gabriela, Tereza Batista e Tieta?


quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

e quando o medo é maior que vc?

Sim eu sei que tenho que ser forte e ‘bunita ‘para as crias, Que o natal é daqui a alguns dias e elas merecem e TERÃO a festa de natal, com direito a presente na árvore, papai Noel, rabanada e todos cantando Noite Feliz, exatamente com a mamãe me ensinou e faço questão de manter... Mas sinceramente mais preocupada do que manter uma fortaleza insistente para os pequenos, estou preocupada em manter uma mãe real, de verdade, com erros e acertos, alegrias e dores como qualquer outro ser humano... Ser mãe não me torna uma super heroína, cheia de poderes e imune a dores... Ser mãe só me torna mais responsável e não permite que eu mande TUDO para o quinto dos infernos e corra para Brasília a fim de curtir, amar e paparicar minha mãe como ela merece...
No entardecer de ontem saí para andar, respirar, estar sozinha  e quando vi estava na praia conversando e brigando com a natureza, o cosmo, deus ou seja lá o nome que tenha e por mais que eu buscasse motivos não conseguia... a mesma expressão se repetia como num vinil arranhado: ‘Muito Agressivo’, ‘Muito Agressivo’, ‘ Muito Agressivo’.... E por instantes detestei meu pai com todas as minhas forças: Como ele ousa tentar me preparar para o impreparável? Como ele ousa se mostrar tão forte e seguro quando sei que está desmoronando? E então percebi que ele também não é um super herói... É um  PAI que se tornou  responsável ao ponto de ousar proteger os filhos da dor... Que esconde sua fragilidade, pois sabe que a única coisa que ainda nos mantém em pé é a sua fortaleza.
 E então apesar da minha dor ainda não caber dentro do peito, das lágrimas escorrerem pelo rosto sem que eu tenha controle, da raiva ser maior que a razão, catei minhas havaianas, sacudi a areia e voltei para casa... Pronta para explicar para os pequenos que apesar de não ser a super heroína que eles idealizam eu continuo ali amando o suficiente para ousar tentar proteger da dor...
 Expus toda minha dor para os pequenos. Reexpliquei o dodói da vovó e como eu estava triste e ferida com tudo que estava acontecendo, que não estar pertinho dela e não poder abraça-la após cada Quimio ou Radio me deixa ainda mais triste e frágil e que neste momento estou com muita raiva mesmo do papai do céu... Juro que não sei se eles entenderam mas tenho a certeza que fui transparente com eles, e que eles sabem que a minha falta de sorrisos nada tem a ver com eles e que sim sou apenas a mamãe... Certa, errada, alegre, triste, mas sempre ao lado deles e que muitas vezes são eles sim que terão que me energizar para que eu aguente o tranco e consiga caminhar para continuar reenergizando-os e assim vamos seguindo... Num ciclo continuo apenas esperando que uma hora a vida volte para o eixo.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

ProntoFalei

Longe de querer transformar o blog em muro de lamentação mas permanecendo fiel a MIM e aos meus princípios, não posso ficar aqui pagando de bonita e feliz quando no meu dia a dia a barra tá pesando e segurar as lágrimas tem sido tarefa árdua... este é o MEU espaço, meu diário e não quero e não vou ficar aqui me fingindo de forte, só por que algumas pessoas acham que não se expõe a vida pessoal desta forma. Numa boa, se eu me importasse tanto assim com privacidade não seria viciada no FB e muito menos teria um blog...
Este ano realmente tem sido pesado, cheio de dores, daqueles que devem entrar para a história como o ano que não deveria existir, mas ele existiu me marcou com ferro em brasa e nunca mais serei  a mesma, as cicatrizes que ele deixará em minha alma irão me acompanhar para sempre... E ainda estou muito magoada e revoltada com deus para buscar razões filosóficas para tudo que aconteceu e sinceramente não acredito que problemas tão graves sirvam como lição... não tirei NADA de bom com os problemas e dores deste ano. Assim como não tirei NADA de bom com o problemas e dores de 2004. Muito menos com a Paralisia Cerebral do Carlinhos. Ou com as doenças graves com as quais meu pai é obrigado a conviver. Não acredito que doenças sejam lições que deus usa para ensinar, e se forem desculpaê, mas este deus é mais atrasado e cruel ainda do que minha revolta é capaz de imaginar...
Aprendi sim com tudo que vivi, mas quem me ensinou foram as pessoas que me rodeiam e não as dores. Aprendi que devo ser ainda mais autêntica do que sou, que muitas vezes o apoio e o carinho que precisamos vem de pessoas que nem imaginamos e que até por isto VALE A PENA SIM expor minha vida REAL... Tive a comprovação de que sim existem pessoas felasdumaputa soltas no mundo, mas que o ser humano ainda é essencialmente BOM. Aprendi que as pessoas nos julgam pelo que demonstramos e ninguém no mundo pode querer ou esperar ganhar doce se mostrando amargo... que para ganharmos colo e carinho é simples: basta pedir, que a idade não confere automaticamente as pessoas o poder de ter todas as respostas. Que a única coisa que  idade nos confere automaticamente são RUGAS . Que não vale  a pena ser A revoltada, A que nunca precisa de nada, A sábia, A auto suficiente, A Juíza... Que muito mais do que isto, vale a pena ser real, amar, odiar, sorrir, chorar, acertar e principalmente ERRAR, Cair e prosseguir.
Sei que não conseguiria passar por tudo que estou passando sem o colo e o carinho que estou ganhando e  se um dia minhas dores servirem para aliviar o sofrimento de outra pessoa qualquer que maravilha, (até porque vamos combinar 90%  das pessoas que falam sobre o câncer abertamente parece que estão contando uma viagem a Disney, o que transforma nós pobres mortais, que sofremos com a deterioração que ela provoca nos nossos entes queridos, em ETs)  que maravilha!!!! Fiz Minha Parte!! Adoraria ter conseguido ler/ ouvir mais vezes que a dor é real e que não sou uma fresca por estar sofrendo tanto
E principalmente que acreditar no outro por default não me transforma numa criatura boazinha, bunitinha, coloridinha e de blusinha de manga bufante me  transforma apenas em MULHER....Mulher que admite que sofre e até por isto se cerca de pessoas do BEM e até por isto adquire o direito de ser feliz!

hoje....

Muito Agressivo, Muito Agressivo, Muito Agressivo, Muito Agressivo, Muito Agressivo....
A voz do meu pai não saí da minha cabeça, meu medo aumenta... Não adianta não aceito a deterioração física, a dor e o sofrimento de quem amo, e se você é meu amigo ou ao menos me respeita, por favor guarde suas teorias  e explicações religiosas, pseudocientíficas, para você, não as quero! Não combinam com o Deus em quem EU acredito. E se não quiser ler, olha ali em cima, clica no X e vaza!
Sempre falei que morria de medo desta maldita doença, que destrói e corroí o corpo do paciente e a alma dele e de todos que os rodeiam e que realmente o ama... Ninguém passa imune por esta doença, ela deixa cicatrizes no corpo e na alma. É uma briga insana e desleal, onde o câncer tem todas as forças e todos os poderes e vc tem o que? Paciência? Quimioterapia? Radioterapia? Faz-me rir, em muitos casos, só ajudam a prolongar o sofrimento e a deteriorar ainda mais o estado do paciente. E como manter a esperança se NUNCA chega uma mísera notícia boa? Isto não é ter esperança, é ser burro, é se negar a ver a realidade da forma nua, crua e cruel com que ela se apresenta...
Cansei de porrada!!! Com 8 sessões de quimio pesada o câncer diminui e operamos com segurança... ops a medicina não é exata... Tudo bem operamos e depois mais algumas sessões de quimio e remissão... Ops, operamos, mutilamos uma mulher vaidosa e não era bem assim... O câncer é mais agressivo do que esperávamos... Vamos para a Radio + Quimio pesada... Ops, ela quase não consegue mais comer, pois não consegue engolir, e o pouco que come vomita... Lamento é característico da doença, façamos novos exames....... Ops...  O Tumor é MUITO AGRESSIVO.... Vamos continuar com a Quimio + Radio e se ela piorar, me informe, vamos ver o que mais é possível.... 
PUTA QUE PARIU!!!! Isto não é um ratinho de laboratório que zilhões de Ong vão gritar e berrar, pois está sendo  torturado em nome da ciência!!! Este ‘ratinho de laboratório’ é a MINHA MÃE!!! A mulher que me gerou, me alimentou, me protegeu e me amou, a mulher que dedicou sua vida a seus filhos e seu marido. A que segurou a onda dos irmãos, filhos e sobrinhos e foi forte quando perdeu a mãe para esta mesma doença desgraçada há 17 anos....
 E daí?  O que fazer com o medo? Com a impotência? Com a sensação de inutilidade? Como conviver com os porquês? Como suportar esta espada pendente sobre a cabeça que a cada dia fere e machuca?

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Eu PICISO

Definitivamente eu tenho uma Mini Diva em casa que ‘picisa’ desesperadamente de coisas...
Desde que nasceu já mostrou ao que veio: ser peruinha! A guria com meses de nascida já demonstrava que era mesmo uma típica representante do sexo feminino... Estava irritada e birrenta? Bastava colocar as rodas do carrinho em um shopping para calar a boquinha e prestar atenção ao colorido mágico das vitrines...
Em sua primeira viagem à Arraial do Cabo, tinha pouco mais de 1 ano e meio, mas caiu de amores por um chapéu rosa, cheio de babados e florezinhas e quem disse que aceitava descer para a Praia ou Piscina sem o seu inseparável  ‘Péu’?
A roupa tem que combinar, os sapatos são seus amores maiores, chorou ao furar a orelha e calou prontamente quando viu o resultado no espelho e ainda mandou a perola para o Pai: ‘Agora sou Pincesa’, e como não podia deixar de ser adora fru frus, chuquinhas e arquinhos, mesmo que com seu cabelo cacheado pouco disso consiga usar...
 Ainda assim eu acreditava ter salvação para a peruisse da pequena. Hoje em mais um dia nublado, que onde São Pedro se esqueceu de atualizar o calendário e se tocar que o hemisfério sul está no auge da primavera, onde o clima deveria ser ensolarado e a temperatura agradável e não esta chuvinha de molhar trouxa e uma friaca ducão. Ao ajuda-la a se vestir pela manhã sou confrontada:
- mãe vc esqueceu do potetor, eu sou muito blanquinha!
- Filha, não precisa, hoje não tem sol, olha lá como o dia tá feio.
- Mãe, eu PICISO de protetor! a tia da televisão disse que quem não usa fica velha...
-Omg????? Mãe com cara de pateta...
- Mãe, vc não usa protetor! eu PECISO, senão vou ficar velha igual a você. Entendeu????????????
Hugo rola no chão de rir da minha cara e eu PICISAVA dormir sem esta!

PS: Sim, a mini diva ganhou sua camada de protetor solar!


terça-feira, 15 de novembro de 2011

Sim tenho medo

Sim confesso, tenho medo de lagartixas, calangos e todos a sorte de jacaré genérico. Basta ver um que instintivamente grito, e congelo, e difícil saber quem assusta mais se eu ou se o pobre bicho. Mas quer saber do que realmente tenho medo?
De gente boazinha, bonitinha e coloridinha... Sabe aquele tipo de gente que não fala palavrão nem quando dá uma puta topada com o dedo mindinho? Aquele tipo que sempre fala baixinho, nunca fala alto com os filhos, jamais discute com o marido, não tem um fio de cabelo fora do lugar, adora roupinha cor de rosa, brinquinhos pequenos,  e para completar usa gloss???? Sabe aquele tipo que não fuma, não bebe, não come e não fode?
Pois é gosto não, tenho medo de gente boazinha... É gente triste, que por trás do brilho do Gloss está sempre apagada, apegada a valores mesquinhos e retrógados... Que insiste em não evoluir, não mudar e ideia e permanece sempre no mesmo patamarzinho ridículo e medíocre... Não consigo confiar, fico sempre esperando um bote, uma armadilha e pior ainda tenho medo de ser morta asfixiada pelo excesso de perfume doce e romântico que o tipinho insiste em usar...
 Quero um Tango, Um Fado, Um Bolero, ou porque não um metal, mas por favor, guarda tuas cantigas de roda lá longe de mim senão corro o risco de surtar e pintar toda sua vidinha coloridinha em Tons de Negro, Cinza , Bege ou quiça vermelho...

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

O Cão da Divisa

E daí que o ano era 2005, eu morava na divisa do fim do mundo com coisa nenhuma, e a cada dia que passava estava mais infeliz e irritada com tudo e todos, e apesar da companhia adorável do Adolfo Felino manco de uma pata, eu sentia falta de um cão... Sempre tive cachorro, sou filha de um cara, chato pra cacete, mas apaixonado por bichos e sabia que nada melhor para suportar a cidade onde nem o diabo quis viver que um bom e querido cão.
Hugo detestava a ideia, jurava que cão e apartamento eram duas coisas impossíveis de serem combinadas, mas de tanto ouvir chorôro e mimimi acabou topando a ideia... lógico que no fundo rezava para eu nunca encontrar o cão ideal mas topava a ideia...
Um belo sábado lendo o folhetim jornal local, me deparo com o anuncio: doo Poodle adulto médio preto... Enchi o saco do marido e lá fomos nos conhecer o tal cão.. No primeiro momento não fomos com a cara um do outro... Fiz careta para ele e ele simplesmente ignorou minha nobre presença... Cutuquei o Hugo e queria ir embora, mas a empatia e o amor entre os dois já estava estabelecido... Então fui convencida a dar uma voltinha no quarteirão para ver se o cão gostava da gente, mais uma vez fui absurdamente desprezada pelos dois.  Mas como Hugo tinha caído de amores pelo cão cego, feio, de pelo embolorado e que insistia em me desprezar resolvi não dar chance para o azar, vai que o chato de galochas desiste de deixar um cão coabitar em nosso lar e adotei o cão.
Corremos igual doidos para achar uma boa alma na divisa que topasse fazer uma tosa e um bom banho no cão em pleno sabadão à tarde... Mas como papai do céu realmente tava a fim de ajudar o Cão acabamos conseguindo o milagre de fazer alguém trabalhar na divisa no sábado á tarde...
 E Finalmente o cão chegou em casa, onde enfim revelou que na verdade não passava de um lindo macho alfa que descobriu que tenho uma queda por cafajestes do sexo oposto e me deu o desprezo inicial necessário para que em minutos me colocasse de quatro diante dele. Na verdade embaixo daquele embolorada de pelos fedorentos se escondia um lindo cão preto, que por ter sofrido muito na mão de donos babacas, tinha aprendido a valorizar o respeito e a amizade entre humanos e caninos ...
 E Até hoje uma das minhas maiores alegrias é quando o cão, hj já um senhor, anda pela casa em duas patinhas igual um anãozinho preto pronto para receber carinho, e nos mostrar o quanto somos importantes na vida dele.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Rio de Janeiro.... de fevereiro,..., de dezembro,..., de vida

Como todo mundo tá cansado e careca de saber, sou Brasiliense, absolutamente apaixonada pela seca e que sobrevive feliz e contente com umidade relativa do ar abaixo de 15%. Mas acho que algo dentro de mim sempre soube que apesar de pertencer aquele chão, ele não era o melhor cenário para minha vida. Morei fora de Brasília algumas vezes: Jataí – GO; Petrolina-PE, Rio Grande - RS, e todas às vezes voltei para o aconchego do cerrado. Amei Petrolina, suportei Jataí e Odiei com todas as minhas células Rio Grande. Só que o meu lar, o meu chão, o meu povo ainda era Brasília.
Em 2007 resolvemos mudar para o Rio, aqui tínhamos melhores oportunidades profissionais e uma possibilidade de crescimento na carreira que a velha politiqueira de Brasília, nunca nos permitiria alcançar. E confesso que no principio, o Rio seria apenas mais um dos lugares que eu iria morar, e que eu jamais perderia minha forte identificação com o cerrado e o orgulho de ser Brasiliense...
 Mas a coisa não aconteceu exatamente assim, claro que no primeiro ano eu não conseguia passar um dia sequer sem ler as notícias no Correio Brasiliense e me indignava verdadeiramente cada vez que via/ouvia alguém confundir a população Brasiliense com a corja da política nacional... Mas o tempo foi passando, a Nine nasceu e fui dia a dia me apaixonando e sendo conquistada por esta cidade linda e louca que é o Rio de Janeiro.
Descobri que não preciso trabalhar de terninho, salto alto e maquiagem para ser respeitada, que de vez em quando posso até apelar para o velho trio Jeans, camiseta e tênis que todo mundo vai achar normal... Descobri o prazer e a maravilha de andar apenas de havaianas entre a noite de sexta e a manhã de segunda... A delicia de colocar um biquíni e passar o dia na praia sem a imensa preocupação se estou com 2 kg acima do peso ou não, ou mesmo se o biquine combina com a canga, com o chapéu, com a bolsa e quiça com os brincos..
Fui aprendendo a malemolência carioca, o bom humor, que um bom pé sujo muitas vezes é melhor que o Bar/boate/casa noturna da moda... Que é uma delicia poder vir para Lapa numa noite qualquer usando uma bermuda jeans, Camiseta e Chinelo e que ainda assim vc não será um ET.
E Hoje sinceramente não consigo me imaginar morando novamente em Brasília, e tirando a umidade em 15% realmente não sinto saudades da cidade... Sinto falta dos amigos, da família, mas da cidade? Nenhuma!
Lógico que o Rio não é uma cidade perfeita, temos uma violência terrível, a corrupção e o ‘jeitinho brasileiro’ imperam e irritam, a má distribuição de renda é clara e aparente, a burocracia é maior do que já vi em qualquer outro lugar ... O Rio está longe de ser perfeito, mas sinceramente quero fazer a minha parte para que melhore a cada dia, para que meus filhos herdem uma cidade mais segura, menos desigual...
 E Sim se Brasília foi o chão que nasci, onde guardo com carinho as lembranças do passado, o Rio é o Chão que escolhi, que aprendi a amar e a respeitar e onde quero viver com plenitude meu presente e meu futuro.



quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Orgulho e Honra, Ou ainda existe salvação

 Cof, cof, cof... É acho que deixei este cantinho abandonado demais nos últimos tempos, mas neste meio período muita coisa aconteceu, mamãe finalmente fez a mastectomia, Graças a Deus vencemos mais uma batalha nesta guerra, mas durante estes dias fiquei muito enfraquecida, medrosa, baqueei mesmo e em alguns momentos me vi tomada pelo mais absoluto e irracional Pânico e sinceramente não tinha a menor estrutura para escrever. e ainda estou elaborando tudo que aprendi nestes dias para só então vir aqui e parir minhas sensações e emoções.

 E agora mudando de assunto...

 Hoje pela manhã acordei com a notícia que toda a população carioca aguardava a um bom tempo: A prisão do traficante Nem. Chefe do trafico na Rocinha, Favela maior que muitas cidades Brasileiras com população de cerca de 70 mil pessoas. Cidadãos Brasileiros, como eu e você, a maioria pessoas de bem, trabalhadoras e que viviam oprimidas selo trafico, comandado com mão de ferro por este ser.
Como esperado, infelizmente haviam policiais envolvidos, ainda na tarde de ontem foram presos alguns civis e outros militares que escoltavam e davam proteção à   fuga de traficantezinhos de segundo escalão que tentavam escapar da ocupação da Rocinha programada para o próximo domingo. E infelizmente neste momento me envergonhei de ser moradora do Rio, de ter que conviver diariamente com a corrupção e bandalheira promovida por parte da policia carioca e pela odiosa milícia formada por estes seres. E senti raiva, muita raiva... Aqueles policiais de merda me enojavam e provocavam muito mais a minha indignação do que os traficantes... Afinal, sou de uma época onde polícia era polícia e bandido era bandido!

E hoje ao ser acordada com a notícia da prisão de um traficante de primeira linha, acompanhada de detalhes amplamente cobertos pela imprensa  onde se mostrou o trabalho árduo de policiais honestos e íntegros, que mesmo recebendo um salário vergonhoso para diariamente arriscarem suas vidas em uma verdadeira guerrilha urbana onde eles não possuem treinamento e nem mesmo armamento adequados para o combate, não venderam sua HONRA mesmo diante de 1 milhão de reais!

Me emocionei, e meu peito se encheu de orgulho ao ver a entrevista de um policial do choque, pouco mais que um guri, onde seu sorriso se misturava com seus olhos marejados e no tom de sua voz ao bradar o grito de guerra de sua corporação deixava claro que dentro da policia carioca, misturados aos safados, milicianos e corruptos de merda, ainda existem sim homens que HONRAM sua FARDA e se ORGULHAM de sua CORPORAÇÃO! E é por estes homens que diariamente protegem a NÓS cidadãos cariocas que devemos cada dia mais lutar contra a Milícia e a Banda podre e cobrar das autoridades estaduais e federais condições de trabalho e salário dignos para os homens realmente sérios e comprometidos!

Hoje o meu grito se une ao daquele guri que não teve vergonha de em rede nacional mostrar que se orgulha e honra a farda que carrega e principalmente a POPULAÇÃO que espera que ele cumpra seu dever.
PS: O blog tá doido e não me deixa postar de outro jeito então vai este brega Mesmo!

CHOOOOOQUEEEEEEE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!




que seja apenas um simbolo entre tantos honestos!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Dilemas Maternos... E quem tem a razão?

E o eterno dilema da Maternagem continua a se proliferar, há algum tempo atrás o grande drama era apenas sobre Parto Normal X Cesárea, afinal você só era mãe e digna do seu filho se tivesse parido ele no meio de dores lancinantes, pois até a analgesia era o maior dos crimes que você poderia cometer contra seu pobre e indefeso filho...
 Passou-se algum tempo e o discurso evoluiu para a amamentação, você só amava o seu filho e só era digna da alcunha mãe se o tivesse amamentado exclusivamente no peito  até os 15 anos de idade, e se por acaso, seu leite tivesse secado, não produzisse o suficiente, tivesse algum problema de saúde que impedisse a amamentação você era simplesmente excluída das rodas das ‘antenadas’ que amavam os filhos acima de qualquer sacrifico...
Chegamos à segunda década do século XXI e agora a grande discussão é o retorno das mulheres ao lar, assumindo o papel de mãe 24 horas, e novamente vejo o radicalismo se impor sobre o bom senso, alimentados por meia dúzia de artigos ‘acadêmicos’ baixados através do são Google e que em 5 segundos transformam as xiitas em  doutoras em educação infantil formadas pela Sorbone...
Sinceramente, acho muito legal o retorno da mulher ao lar, o se permitir optar pelo papel que deseja assumir e pagar os prós e contras que cada escolha faz, mas não acredito que por isto os filhos destas sejam mais amados, educados, maduros, descolados, inteligentes ou seguros dos daquelas que trabalham fora seja por opção ou por necessidade como é a realidade da maioria das famílias brasileiras...
Eu particularmente, bem como a maior parte das mulheres que fazem parte do meu convívio direto, trabalho fora e mesmo que amanhã eu ganhe na mega acumulada e dinheiro passe a ser o últimos dos meus problemas, eu jamais deixaria de trabalhar fora!!! Sempre falei que só sou mãe, pois sou mulher e jamais conseguirei ser uma boa mãe  se não for feliz como mulher, como individuo... Amo meus filhos mais do a minha própria vida, mas eles não são e nunca serão o centro da minha vida. Este lugar é meu e não abro mão dele para ninguém! Os respeito demais como indivíduos para exigir deles tamanho sacrifício... Imagina a responsabilidade de aos 3, 5 anos ser o centro da vida de um adulto? Não... É carga demais para os ombrinhos dos meus pequenos...
E talvez justamente por isto seja a melhor mãe do mundo para os meus filhos... Pois quando estou com eles estou vivendo a plenitude do meu papel de mãe, e não preocupada com o meu papel de mulher, esposa ou individuo, naqueles momentos eles me tem por completo e quando não estou, têm a certeza que daqui a pouco estou de volta , integra e INTEIRA para eles, que sempre estarei ali pronta para me doar e para recebê-los.
Sua opção é diferente? Que ótimo!!! Provavelmente foi o melhor arranjo para sua família e para os seus filhos. Você dá conta de tudo sozinha, sem auxilio de babas, creches, avós? Parabéns! Isto deve te realizar como individuo e talvez por isto desempenhe tão bem o papel! Acredito realmente que sua família é feliz, que teus filhos, cachorros e samambaias de prasticu são organizados, lindos, saudáveis, plenos e acima de tudo felizes.
 Mas por favor, não venha desrespeitar a minha decisão, a minha escolha e muito menos acreditar que é mais mãe do que eu por conta disto , ou que seus filhos são mais amados do que os meus, porque aí sim eu vou ter que acreditar que a tua vida é um conto de fadas e que como  todo conto de fadas só existe na imaginação de quem os criou.


terça-feira, 25 de outubro de 2011

Tesouros de um mini Ogro

Como é de domínio publico me mudei de Brasília para o Rio quando o Hugo Leopoldo era ainda um bebê de colo, tinha pouco mais de 9 meses, e uma das coisas que mais ouvi na época foi se eu não me importava em separá-lo dos avós, tios e primos, em fazer com que crescesse sem o referencial de família que para mim é tão importante... Sempre falei que a distância seria apenas física, que o quê nos ligava era muito maior que 1200 KM e que encontraríamos uma forma de manter o referencial que julgo primordial na vida de qualquer um...
Niqui o tempo passou e hoje após 4 anos e meio tive a prova concreta que estava certa, que laços de amor e confiança reais precisam muito mais do que presença física para serem construídos.
 Hugo Leopoldo, apesar de ser um mini ogro declarado e de ter que ser continuamente lembrado de sua força física que pode e muitas vezes realmente faz  machucar, também é um poço de sensibilidade e carinho, e desde que soube que a avó estava com um dodói muito ruim praticamente todos os dias faz desenhos e cartinhas para a avó... Mas o que fazer com elas? Confesso que nem cheguei a me preocupar muito com o assunto, ok podem me dar 7 mil chibatadas pois sei que fui má e cruel com o guri e mereço,  mas ele se preocupou! Pegou um saco destes mais resistentes e com zíper, onde tinha vindo o cobertor dele, e começou ali a juntar seus tesouros para a avó... Praticamente todos os dias me avisava que tinha posto uma cartinha ou um desenho novo lá...
Semana passada eu ainda estava meio adormecida quando o moleque entra no meu quarto pedindo dinheiro para comprar uma caixa de bombons, dei R$20,00 e avisei que tinha troco, algum tempo depois o moleque retorna e diz que aproveitou o dinheiro e comprou DUAS caixas de bombom, questiono se é uma para ele e outra para a Nine e ele prontamente responde  ”não mãe, eu vou dividir uma com a Nine, a outra é para a vovó”....
Daí que hoje eu preciso mandar um documento da Camila para meu pai em Brasília e ontem comentei que hoje iria ao correio, prontamente HL largou tudo o que estava fazendo e correu para o seu quarto e voltou de lá com seu saco de tesouros para avó... Além das inúmeras cartas e desenhos que vem acumulando desde maio, a ultima vez em que viu a vovó, estão lá a caixa de bombom e mais inúmeras balinhas, jujubas, chicletes.... Juro que me surpreendi, não tinha nem idéia do que aqueles doces faziam ali e fui perguntar pro HL e fiquei muda ao ouvir: “sabe mãe, cada vez que tu ou o pai me dão doce, eu guardo um para a vovó, e para não perder e a Nine não comer eu já coloco o primeiro no saquinho da vovó. Você acha que ela vai gostar? ”
Não consegui segurar as lágrimas, puxei meu mini ogrinho delicado e dei o maior abraço do mundo: Claro filho, é claro que sua avó vai gostar....


segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Eu Como Brega. FESTA

E Daí que hoje  a gostosa tudo de boa Ly Mello   resolveu lançar a postagem  Coletiva EU COMO BREGA! Há dias venho me debatendo sobre o que escrever, ou qual receita colocar.
 Então hoje resolvi que não ia postar comida nenhuma, ia era postar umas boas receitas de bebida afinal, boa festa tem que ter boa bebida e resolvi tomar um porre para comemorar. Me acompanha:
 Como somos todas mulheres delicadas, de boa família  comecemos com um delicioso ponche, quando eu era pequena ponche era bebida de mulher e eu achava lindo ver todas aquelas frutinhas boiando e sonhava com o dia que minha mãe finalmente ia me deixar experimentar tal maravilha do mundo adulto. Quando cresci o ponche já era brega – valeu viu mãe  -  e não pude experimentar, então vamos juntos:

Ingrediente
  • 1 litro de vinho tinto gelado
  • 2 kg de frutas vermelhas (morango, framboesas, etc…) lavadas e picadas
  • cubos de gelo q.b.
  • 1 litro de espumante
  • 1 litro Guaraná ou Soda Limonada
Preparo
  1. Misture todos os ingredientes líquidos –
  2. Acrescente as frutas picadas. Experimente e veja se existe a necessidade de acrescentar açúcar.
  3. Acrescente os cubos de gelo. Rende cerca de 20 – 25 copos

Agora que já passou a entrada e estamos ficando alegrinhas podemos nos aventurar um pouco mais e quem sabe até papear sobre relacionamentos, amigos e etc.... afinal já estamos mais alegrinhas e podemos então saborear outro clássico da bebida brega o Hi-fi, este apesar das proibições maternas e da breguice vir acompanhando-o a bastante tempo consegui experimentar, afinal Vodca é maravilhosa e não deixa hálito, bom para enganar a mãe na adolescencia. Hehehe

Ingrediente
  • 3 partes de Fanta Laranja
  • 1 Parte de Vodca
Preparo
Misture as bebidas e aproveite.
E para terminar  nosso Tour Caímos em algo um tiquinho mais forte, mas nem por isto menos brega, a festa já rola solta e estamos felizes, então é hora da deliciosa Cuba Libre;

Ingrediente
  • 1 Parte de Coca cola
  • 1 Parte de Vodca
Preparo
Misture as bebidas e aproveite.

A esta altura já estamos soltinhas e alegrinhas, segredos já foram revelados, gargalhadas foram distribuídas e a amizade consolidada..